Internacionais

Congressistas se reúnem para tentar formar governo de coalizão na Espanha

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

4 de janeiro de 2020 - 00:00 - Atualizado em 4 de janeiro de 2020 - 00:00

Congressistas da Espanha começaram a debater neste sábado se aprovam ou não a proposta do primeiro-ministro interino Pedro Sanchez de formar uma coalizão dos partidos de esquerda para governar a quarta maior economia da União Europeia.

A sigla de Sanchez, o Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), quer formar a coalizão com o Unidos Podemos, mas para isso precisa do apoio de vários outros partidos para conseguir a aprovação no Congresso espanhol. Seria a primeira vez desde a redemocratização da Espanha, em 1978, que uma coalizão governaria o país.

Sanchez abriu os trabalhos defendendo no plenário seu plano, elencando as prioridades para seu governo espanhol, focando na defesa dos serviços públicos de educação, saúde e serviços sociais, como a previdência. “Nós temos que voltar para a política”, disse o primeiro-ministro.

Por conta da resistência de partidos de direita, a expectativa é que a proposta não consiga os 176 votos necessários no primeiro pleito marcado para este domingo. Os partidos alegam que Sanchez coloca a integridade da Espanha em risco ao negociar a formação de uma coalizão com siglas que defendem a independência da Catalunha.

Pedro Sanchez virou primeiro-ministro da Espanha em 2018 após a saída do conservador Mariano Rajoy e manteve um governo de minoria no Parlamento desde então. Mesmo com duas eleições realizadas ano passado, em abril e novembro, o PSOE não conseguiu formar maioria.