Notícias

Homem confessa que matou ex-mulher em Palotina, no oeste do Paraná

A vítima foi encontrada com as mãos e pés amarrados e com um ferimento profundo no pescoço

Caroline
Caroline Berticelli / Editora com reportagem da RIC Record TV, Oeste
Homem confessa que matou ex-mulher em Palotina, no oeste do Paraná
Foto: Reprodução/RIC Record TV

17 de fevereiro de 2020 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 16:28

O ex-marido de Franciele de Lima Meira Carmo, de 27 anos, que foi encontrada morta dentro da própria residência em Palotina, no oeste do Paraná, na noite de sábado (15) foi preso e confessou o crime. 

De acordo com a Polícia Civil, o suspeito contou que chegou na casa para visitar a filha, por volta das 8h30 de sábado, depois de passar a noite de sexta-feira (14) e madrugada em uma festa, onde usou cocaína. 

“Um crime doloso, ele planejou, e a desculpa dele de alegar que cheirou cocaína, não exime ele do bárbaro crime que ele cometeu”, diz o delegado Pedro Lucena. 

O ex-casal teria discutido porque homem perguntou para a vítima sobre a existência ou não de um novo companheiro: 

“Ele saiu do controle, ele deu uma gravata na vítima, quando percebeu que ela estava desmaiada, amarrou os braços, as pernas, deitou-a na cama e deu um golpe de faca na altura do pescoço”, explica o delegado sobre a brutalidade do crime. 

Durante a briga, antes de atacar Francieli, o homem alega que levou a filha de três anos para dentro do carro e que a criança não viu a mãe ser assassinada.

Suspeito chama a polícia 

Após matar Francieli, o homem deixou a porta aberta, com o intuito de que alguém descobrisse o crime, e foi para sua casa que fica na cidade vizinha de Francisco Alves. Lá, tomou banho, lavou as roupas sujas de sangue e às 19h30 voltou para a residência da ex-companheira. No entanto, quando percebeu que ninguém havia encontrado o corpo, ele mesmo ligou para a polícia

O delegado pontua que a intenção do suspeito ao chamar a polícia era dizer que apenas encontrou a vítima e não admitir o crime. “Diz que chegou em casa, sua ex-mulher estaria morta na cama, e ficou por alí, como se nada tivesse ocorrido, e ele dissimulando estar sentido com a situação quando na realidade era ele quem teria cometido o homicídio”.

Abuso sexual e castração

Em 2019, a filha de Francieli foi abusada sexualmente e a mulher decepou o pênis do próprio irmão, de 13 anos, depois que ele confessou o estupro do bebê. Ela chegou a ser presa, mas atualmente respondia ao processo em liberdade. Na época, a família vivia em Francisco Alves. 

A princípio, a polícia chegou acreditar que os crimes pudessem ter alguma ligação, mas diante das contradições no depoimento do ex-companheiro de Francieli, ele logo foi descoberto.