Notícias

Com 92 anos, primeiro prefeito de Paiçandu (PR) é condenado à prisão por falsificação de bebidas

Chamou a atenção a maneira como as garrafas eram acondicionadas: sem qualquer cuidado, elas estavam influenciando na proliferação de pragas na região

Renan
Renan Vallim / Repórter
Com 92 anos, primeiro prefeito de Paiçandu (PR) é condenado à prisão por falsificação de bebidas
Garrafas apreendidas eram acondicionadas de maneira irregular (Foto: Polícia Civil)

10 de agosto de 2021 - 13:42 - Atualizado em 10 de agosto de 2021 - 14:44

Preso em janeiro de 2020, o primeiro prefeito eleito de Paiçandu, Laurindo Palma, foi condenado a quatro anos e quatro meses de prisão, em regime semiaberto, por falsificação de bebidas. A decisão foi proferida nesta segunda-feira (9) pelo juiz Leandro Albuquerque Muchiuti, da 2ª Vara Criminal de Maringá. Hoje com 92 anos, ele pode recorrer da sentença.

No início de 2020, o ex-prefeito, então com 90 anos, foi preso após investigação da Vigilância Sanitária. Os agentes da vigilância foram até uma residência para retirar material de reciclagem que estava armazenado incorretamente no local e se depararam com a operação de envase das bebidas falsificadas.

A Polícia Civil foi acionada e realizou a prisão de Palma, responsável pela operação, bem como a apreensão de diversos materiais utilizados para a produção das bebidas falsas. De acordo com os policiais, a principal bebida falsificada no local era uísque. Chamou a atenção a maneira como as garrafas eram acondicionadas: sem qualquer cuidado, elas estavam influenciando na proliferação de pragas na região.

Prefeito de Paiçandu entre 1961 e 1965, Palma foi autuado em flagrante por falsificação de bebidas, mas à época negou o crime. O juiz levou em consideração a idade do réu como atenuante, mas também considerou como agravante o fato dele ser reincidente no crime.

A defesa de Laurindo Palma afirmou ao RIC Mais que irá recorrer da decisão e negou as acusações.