Agronegócio

Coluna RIC Rural

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

1 de abril de 2013 - 00:00 - Atualizado em 1 de abril de 2013 - 00:00

O IAP, Instituto Ambiental do Paraná, alerta os produtores que a colheita do pinhão esta proibida no estado até o dia 15 de abril, somente depois desta data a colheita, transporte, comercialização e consumo do pinhão serão permitidos no Paraná. Com isso o IAP quer garantir a reprodução da araucária que ocorre durante o primeiro semestre do ano. A árvore está ameaçada de extinção. (IAP)

Trigo

E começou o plantio do trigo no Paraná a área estimada nesta safra deve chegar a 846 mil hectares, um aumento de 9% em relação à safra passada. Os dados são do último levantamento do DERAL, Departamento de Economia Rural da Secretaria da Agricultura divulgado na ultima nesta quinta-feira,28 de março. Segundo o boletim, a semeadura começou com cerca de dois mil hectares plantados na região norte. (Seab)

Sobe

E a semana começa com os preços do café com pequena elevação, R$ 4,60 o kg. O Suíno apresenta queda R$ 2,90 o kg na região. O milho R$ 21,50 a saca e a soja R$ 53,00 a saca em Maringá e Londrina. O boi gordo em alta, R$ 100,00 a arroba em Paranavaí e Londrina. (Seab)

Peixes

E o IAP liberou a pesca de cinco espécies de peixes em dois rios do estado, o rio Paraná e o Paranapanema. Estão liberados a pesca de dourados, jaús, jurupocas, monjolos e jurupenséns, espécies  proibidas desde de outubro de 2012. A justificativa para liberação é de que estes rios, por também banharem outros estados, são considerados de domínio da União e a legislação estadual não pode sobrepor à lei federal, que permite a pesca. (IAP)

Peixes II

E o pescador pego em fiscalização tem de comprovar a pesca por fotografias ou nota fiscal de estabelecimentos que comprovem a proximidade com estes rios. O limite é de 10 kg mais um peixe por espécie no tamanho permitido por lei. Quem descumprir as determinações está sujeito a multa. O IAP alerta que essas espécies de peixes continuam  proibidas nos demais rios do Paraná como no Ivaí, Piquiri e Tibagí. (IAP)

Grãos

E começa a chegar nesta primeira semana de abril, as informações sobre a descarga de grãos no Porto de Paranaguá. Os boletins, chamados de operação safra, chegam às rodovias do Interior de São Paulo e serão  divulgados nas praças de pedágio nos municípios de Caiuá e Presidente Bernardes, na Rodovia Raposo Tavares (SP270). Os pontos são estratégicos para atingir os caminhoneiros vindos do Mato Grosso, o segundo Estado de origem dos grãos descarregados no Porto de Paranaguá. (Página Rural)

Grãos II

De acordo com o setor de estatísticas da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), dos 65.087 caminhões que descarregaram grãos no Porto de Paranaguá este ano, até o último dia 20 de março, 14.911 eram provenientes do Estado do Mato Grosso.(Página Rural)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.