Clima e Tempo

Ventos de quase 100km/h e fortes chuvas causam estragos pelo Paraná; veja imagens

Em Campo Mourão o acumulado de chuva deste sábado (23) chegou a 117.6 mm; Já em Maringá o número chegou a 100.2

Guilherme
Guilherme Becker / Editor com informações da AEN, do Simepar e da Copel
Ventos de quase 100km/h e fortes chuvas causam estragos pelo Paraná; veja imagens
(Foto: Daniela Calsavara/ RIC Record TV)

24 de outubro de 2021 - 10:38 - Atualizado em 24 de outubro de 2021 - 10:45

Vendavais e fortes chuvas marcaram o Paraná neste sábado (23). Os dados do  Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar) revelam que os ventos no estado chegaram a marca de 96,8 km/h e em alguns municípios o acumulado de chuva superou os 100 milímetros.

“As maiores rajadas de vento associadas a tempestades ocorridas até este momento são: Cascavel 96,8 km/h, Ubiratã 90,7 km/h, Santa Helena 89,3 km/h e Assis Chateaubriand 86 km/h”,

informou o Simepar.

A mudança climática causou estragos e deixou quase meio milhão de imóveis sem energia elétrica. Em várias regiões do estado foram registradas quedas de árvore, destelhamentos, alagamentos e estradas interditadas. Segundo a Copel, somente até o final da tarde de ontem, foram registradas 4,6 mil ocorrências para atendimento.

Lago Igapó, em Londrina (Foto: Daniela Calsavara/ RIC Record TV)

Destruição em Londrina

A Prefeitura de Londrina, por meio da Secretaria Municipal de Defesa Social e da  Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil (Compdec), divulgou o balanço parcial das ocorrências registradas em decorrência das chuvas e do vendaval que atingiu a cidade neste sábado (23).

Até às 22h30 foram contabilizadas mais de 70 ocorrências em todas as regiões da cidade. A maioria dos casos é de queda de árvore (42), e destelhamentos (27).

Lago Igapó ficou com a água escura (Foto: Daniela Calsavara/ RIC Record TV)

A Defesa Civil disponibilizou os dois ônibus da Guarda Municipal como pontos de distribuição de lona para as pessoas atingidas pelo vendaval. O primeiro ponto é a base da instituição da zona norte, localizada na avenida Saul Elkind esquina com a rua Joaquina de Oliveira Perfeito.

O segundo ponto está localizado na zona sul da cidade, na rodovia João Alves da Rocha Loures, 3655, em frente à Escola Municipal Zumbi dos Palmares (Caic da zona sul). Os dois locais foram escolhidos com base nas estatísticas das ocorrências que foram registradas pelos telefones de emergência 199 e 153.

As equipes seguem realizando o monitoramento das chuvas e das ocorrências que continuam sendo registradas nas centrais telefônicas. Os agentes também estão sinalizando e desobstruindo as vias afetadas pelas árvores caídas.

Oeste e Sudoeste no escuro

Foz do Iguaçu, Medianeira e Cascavel concentram o maior número de residências sem energia elétrica e há municípios com quase a totalidade dos consumidores desligados: Itaipulândia, Matelândia, Missal, São Pedro do Iguaçu, Lindoeste, Ramilândia, Diamante do Oeste, Três Barras do Paraná, Ibema, Salgado Filho, Tupãssi, Boa Vista da Aparecida, Catanduvas, Iguatu, Campo Bonito, São José das Palmeiras, Diamante do Sul, Santa Tereza do Oeste, Ouro Verde do Oeste, Guaraniaçu, Santa Lúcia e Flor da Serra do Sul.

No oeste, a Sanepar informou inclusive a interrupção do abastecimento de água, por causa da falta de energia elétrica em suas subestações.

Fortes ventos causaram quedas de árvores em Medianeira (Foto: Defesa civil COMPDEC Medianeira-Pr)

Recorde de chuva no Noroeste

As cidades que tiveram maior acumulado de chuva neste sábado (23) foram da região Noroeste. Campo Mourão e Maringá tiveram as maiores precipitações com 117.6 e 100.2, respectivamente.

Maringá

Em Maringá, cerca de 30 mil imóveis ficaram sem energia elétrica devido às intensas chuvas. Confira as cidades com maior volume de precipitação neste sábado (23):

  • Campo Mourão – 117.2 mm/24h
  • Maringá – 100.2 mm/24h
  • Assis Chateaubriand – 83.4 mm/24h
  • Londrina – 74.8 mm/24h
  • Cornélio Procópio – 72.4 mm/24h
  • Cianorte – 70.8 mm/24h