Balanço Geral Curitiba

Chocolates oferecem perigos à saúde dos pets

Guilherme
Guilherme Becker / Editor

18 de abril de 2019 - 00:00 - Atualizado em 18 de abril de 2019 - 00:00

Em época de Páscoa, é comum encontrar chocolates pela casa. Porém, em ambientes com a presença de animais de estimação, é perigoso a ingestão para a saúde dos pets. Um dos derivados do cacau causa estrago no sistema digestivo e neurológico dos bichinhos e, em alta quantidade, pode até levar à morte.

Teobromina causa problemas para o organismo dos animais

A teobromina, é a grande vilã para os pets. Derivado do cacau, esta substância pode gerar problemas no sistema digestivo e até causar alterações no sistema neurológico dos animais. Além de vômitos e crises alérgicas, o consumo de chocolate pode causar tremores, convulsão e aumento na pressão arterial.

LEIA TAMBÉM: Seis bairros de Curitiba terão encenações gratuitas da Paixão de Cristo; confira

Se a quantidade ingerida for grande, o animal pode entrar em coma e morrer.

Médica veterinária recomenda atenção nesta época do ano

A médica veterinária Débora Brescianini, informa que é comum casos de ingestão de chocolate por pets, principalmente nesta época do ano.

“É super comum, época de páscoa as crianças, principalmente, deixam ovos, chocolates, barras, em criado-mudo, em cima de mesa, e os cães vão e comem mesmo. É extremamente sério, porque a ingestão da Teobromina, que é a parte tóxica do cacau, ela pode levar a óbito até seis dias após a ingestão”, conta Débora.

A recomendação da veterinária é levar o animal para consulta imediatamente após a ingestão do chocolate. Sem antídotos para conter os efeitos da teobromina, a solução é fazer uma lavagem gástrica em no máximo até três horas após a ingestão.

“A quantidade gigante que eles citam não é tão grande assim. Uma barra de chocolate, de 100g, pode levar um cão de 10kg a óbito. Pode ser no dia, como pode ser até seis dias após. Então assim, ingeriu o chocolate e o proprietário viu, leva no veterinário no máximo até 3 horas após a ingestão. Começou os sintomas já não temos mais o que fazer, não temos antídoto para a Teobromina, que é a toxina, então uma vez o animal intoxicado para o veterinário, a gente trata os sintomas, vômito, diarréia, convulsão, mas não temos um antídoto que anule a Teobromina”, reforça.

Confira a entrevista completa com a médica veterinária: