Notícias

China sustentará a paz mundial, diz Xi, apesar de temores de outros países

Reuters
Reuters
China sustentará a paz mundial, diz Xi, apesar de temores de outros países
Presidente da China, Xi Jinping, em cerimônia no Monumento aos Heróis do Povo na Praça da Paz Celestial para marcar o Dia dos Mártires em Pequim

25 de outubro de 2021 - 08:52 - Atualizado em 25 de outubro de 2021 - 08:56

Por Yew Lun Tian

PEQUIM (Reuters) – O presidente chinês, Xi Jinping, prometeu nesta segunda-feira que a China sempre sustentará a paz mundial e as regras internacionais, em meio aos temores expressados pelos Estados Unidos e outros países a respeito de sua assertividade global crescente.

Os comentários vieram depois de Taiwan dizer neste mês que a tensão militar com a China é a pior em mais de 40 anos devido a preocupações cada vez maiores de que a vizinha gigante possa tentar retomar através da força a ilha autogovernada, que reivindica como sua.

Em um discurso para comemorar o 50º aniversário da volta da China à Organização das Nações Unidas (ONU), Xi disse que o país sempre será “construtor da paz mundial” e um “protetor da ordem internacional”, de acordo com a agência estatal de notícias Xinhua.

“A China se opõe resolutamente a todas as formas de hegemonia e política de poder, de unilateralismo e de protecionismo”, disse Xi, pedindo mais cooperação global em temas como conflitos regionais, terrorismo, mudança climática, segurança cibernética e biossegurança.

Xi pediu que todos os países defendam os valores da paz, do desenvolvimento, da justiça, da democracia e da liberdade, fazendo uso da frase “valores comuns da humanidade”, que cunhou e mencionou pela primeira vez em um discurso de julho para o 100º aniversário do Partido Comunista Chinês governista.

Além de Taiwan, Pequim está mais enfática em sua reivindicação de territórios disputados em sua fronteira himalaia com a Índia, porções do Mar do Sul da China disputadas com algumas nações do sudeste asiático e algumas ilhas do Mar do Leste da China disputadas com o Japão.

(Reportagem adicional de Ben Blanchard em Taipé)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH9O0HA-BASEIMAGE