Notícias

Chefe de direitos humanos da ONU diz que ataques israelenses em Gaza podem ser crimes de guerra

Reuters
Reuters
Chefe de direitos humanos da ONU diz que ataques israelenses em Gaza podem ser crimes de guerra
Palestino caminha em meio a destroços em Gaza

27 de maio de 2021 - 08:33 - Atualizado em 27 de maio de 2021 - 08:36

Por Stephanie Nebehay

GENEBRA (Reuters) – A alta comissária dos Direitos Humanos da ONU, Michelle Bachelet, disse nesta quinta-feira que os ataques israelenses letais em Gaza podem constituir crimes de guerra e que o grupo islâmico Hamas também violou a lei humanitária internacional disparando foguetes contra Israel.

Bachelet disse que seu escritório verificou 270 mortes de palestinos em Gaza, na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental, incluindo 68 crianças, durante os episódios de violência deste mês. A maioria morreu em Gaza, controlada pelo Hamas, onde Israel enfrentou militantes durante 11 dias, em um conflito que terminou com um cessar-fogo.

Os foguetes do Hamas mataram 10 israelenses e moradores.

Bachelet falou em uma sessão especial do Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), realizada a pedido de Estados muçulmanos que solicitaram que o fórum crie uma comissão de inquérito para investigar possíveis crimes e determinar as responsabilidades.

“Apesar das afirmações de Israel de que muitos destes edifícios (em Gaza) estavam abrigando grupos armados ou sendo usados para propósitos militares, não vimos indícios a este respeito”, acrescentou.

“Se considerados indiscriminados e desproporcionais, tais ataques podem constituir crimes de guerra”, disse Bachelet ao fórum de 47 membros, também pedindo ao Hamas que se abstenha de disparar foguetes indiscriminadamente contra Israel.

Referindo-se aos 4.400 foguetes disparados, ela disse: “Cada um destes foguetes constitui um crime de guerra”.

tagreuters.com2021binary_LYNXNPEH4Q0QD-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.