Notícias

Chefe da ONU lamenta “epidemia de golpes” e pede ação do Conselho de Segurança

Reuters
Reuters
Chefe da ONU lamenta “epidemia de golpes” e pede ação do Conselho de Segurança
Secretário-geral da ONU, António Guterres

26 de outubro de 2021 - 16:32 - Atualizado em 26 de outubro de 2021 - 16:36

Por Michelle Nichols

NAÇÕES UNIDAS (Reuters) – O chefe da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, repudiou nesta terça-feira o que classificou como uma “epidemia de golpes de Estado” e pediu que o Conselho de Segurança atue para detê-los de maneira efetiva, enquanto o organismo de 15 membros se preparava para debater a tomada de poder pelos militares no Sudão.

“O povo sudanês mostra muito claramente seu desejo intenso por reforma e democracia”, disse o secretário-geral aos repórteres ao voltar a criticar a tomada de poder pelo Exército do país africano na segunda-feira e pedir que todas as partes demonstrem “moderação máxima”.

O principal general sudanês, Abdel Fattah al-Burhan, defendeu nesta terça-feira a manobra militar, dizendo que depôs o governo do primeiro-ministro, Abdalla Hamdok, para evitar uma guerra civil.

Tratou-se da mais recente de uma série de tomadas de poder militares em Mianmar, no Máli e na Guiné e de tentativas de golpe em vários outros países.

O Conselho de Segurança, que tem o poder de impor sanções ou autorizar ações militares, está dividido sobre como abordar diversos conflitos, e os Estados Unidos e outros membros ocidentais da entidade se chocam com a Rússia e a China. O conselho deve se reunir a portas fechadas para debater o Sudão ainda nesta terça-feira.

Guterres destacou grandes desavenças geopolíticas, as “dificuldades (do Conselho de Segurança) para adotar medidas duras” e o impacto econômico e social da pandemia de Covid-19 para criar “um ambiente em que alguns líderes militares sentem que têm impunidade total”.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH9P18Q-BASEIMAGE