Esportes

Chefe da delegação da vela, Torben Grael aprova regatas adiadas nesta segunda

Gazeta
Gazeta Esportiva

2 de agosto de 2021 - 03:55 - Atualizado em 2 de agosto de 2021 - 04:15

Por falta de vento, a definição da classe 49er FX ficou apenas para esta terça-feira, então Martine Grael e Kahena Kunze vão esperar mais um dia para brigar pela medalha de ouro e defender o título conquistado na edição anterior, no Rio de Janeiro. Chefe da delegação brasileira da vela, Torben Grael considerou acertada a decisão da organização do evento.

“É uma coisa normal, aconteceu pouco aqui na Olimpíada. No Rio aconteceu também, a gente depende do vento estar bom pra velejar. Hoje era complicado, primeiro o vento estava fraco, depois viria uma frente com uma rajada mais forte, com vento instável, iria virar loteria. Decidir assim não era o ideal. Embora as nossas meninas sejam boas em climas confusos, se adaptam bem, ter uma regata mais técnica no final é bonito para o campeonato”, disse.

Na classificação da 49er FX, Martine Grael e Kahena Kunze – campeãs na edição do Rio-2016 – estão empatadas em primeiro lugar com as holandesas Annemiek Bekkering e Annette Duetz. As duas embarcações têm 70 pontos perdidos. Resta apenas a medal race, ou seja, a regata com valor duplo.

“É como se voltasse tudo para o cenário de ontem (domingo), o pessoal volta pra casa e pode dar uma relaxa. A diferença é que amanhã (terça) vão forçar mais para fazer a regata, mas a previsão climática é bem melhor”, destacou Torben Grael.