Coronavírus

Cerca de 340 funcionários de frigorífico testam positivo para Covid-19

A BRF disse que 6,6% de um total de 5.132 trabalhadores de uma unidade testaram positivo em testes rápidos e foram afastados

Gabriel
Gabriel Azevedo
Cerca de 340 funcionários de frigorífico testam positivo para Covid-19
(Foto: Agência Brasil)

25 de maio de 2020 - 00:00 - Atualizado em 25 de maio de 2020 - 00:00

A BRF informou nesta segunda-feira que cerca de 340 funcionários de seu frigorífico em Concórdia (SC) testaram positivo para o novo coronavírus e foram submetidos a contraprovas para confirmação da doença.

A BRF disse que 6,6% de um total de 5.132 trabalhadores da unidade tiveram resultado positivo em testes rápidos para a detecção do vírus e foram afastados preventivamente, além de serem submetidos ao teste RT-PCR, que tem por objetivo confirmar com mais assertividade o diagnóstico. A companhia disse que irá receber os resultados nos próximos dias.

Os 93,4% trabalhadores restantes, que tiveram diagnóstico negativo nos testes rápidos para o vírus, retornariam ao trabalho nesta segunda-feira (25), segundo a empresa.

A testagem de 100% dos trabalhadores da fábrica, realizada em atendimento à determinação da Vigilância Sanitária do Estado de Santa Catarina, foi concluída no domingo (24).

Uma porta-voz da BRF, dona das marcas Sadia e Perdigão, afirmou que todas as fábricas da companhia estão funcionando.

“A notícia causa uma preocupação pelo alto número de contágio nos funcionários, acreditamos que o impacto na produção ainda seja marginal”, avaliou o analista Régis Chinchila, da Terra Investimentos. Ele observou, contudo, que a empresa reforçará a adoção de medidas para conter e combater o vírus, “aumentando assim os custos com medidas sanitárias”.

As ações da BRF fecharam com variação negativa de 0,05%, a R$ 21,75, enquanto o Ibovespa fechou em alta de mais de 4%.

Empresas brasileiras de proteínas, incluindo BRF e a rival JBS, enfrentam casos de coronavírus em suas instalações, o que em alguns casos forçou o fechamento de fábricas e até a adoção de medidas mais rigorosas para combater a doença.

A Aurora, que tem cerca de 26 mil trabalhadores em 16 fábricas, assinou um acordo com o Ministério Público do Trabalho na sexta-feira (22), que exige testes de rotina dos funcionários e outras proteções adicionais.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.