Notícias

Caso Isabelly: justiça decide que Everton Vargas vai a júri popular

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

14 de fevereiro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 14 de fevereiro de 2019 - 00:00

ISABELLY TINHA UM CANAL DO YOUTUBE ONDE VEICULAVA ENTREVISTAS COM FAMOSOS. (FOTO: REPRODUÇÃO/FACEBOOK)

Exatamente um ano depois da morte da youtuber de 14 anos em Pontal do Paraná, a Justiça negou liberdade ao autor do disparo que tirou sua vida

Nesta quinta-feira (14), o Tribunal de Justiça negou por unanimidade o pedido de habeas corpus para Everton Vargas acusado de matar a youtuber Isabelly Cristine, 14 anos, com um tiro na cabeça na madrugada de 14 de fevereiro de 2018, exatamente há um ano.

De acordo com a decisão dos desembargadores da 1ª Câmara Criminal, a decisão de conceder ou não liberdade ao acusado cabe ao juízo da comarca de Pontal do Paraná, no litoral do estado, onde o crime aconteceu. O juiz da causa deverá analisar ainda nesta semana o pedido.

“O desembargador relator negou a ordem de habeas corpus, sustentando que o processo está já maduro para julgamento e que seria mais conveniente, mais adequado, aguardar o pronunciamento do juiz”, explicou o advogado Cláudio Dalledone, que defende os irmãos vargas. Ainda conforme Dalledone, ele irá recorrer ao STJ para tentar a libertação de Everton.

Irmãos Vargas

O irmãos Cleverson Vargas e Everton Vargas estavam no veículo de onde partiram os tiros que mataram a jovem youtuber. Os dois chegaram a ser presos, mas Cleverson acabou solto, no dia 17 de dezembro de 2018, depois que o Ministério Público do Paraná (MP-PR) entendeu que ele não teve participação na morte, pois apenas dirigia o carro no momento do ocorrido. Cleverson foi indiciado por embriaguez ao volante e não irá a júri popular, pois foi inocentado da acusação de homicídio. Ele espera em liberdade pelo julgamento. 

Everton, que foi o autor dos disparos, permanece com a prisão preventiva decretada e responderá por homicídio qualificado por motivo fútil. Também nesta quinta, o juiz responsável pelo processo criminal em Pontal do Paraná decidiu que ele irá a juri popular

Everton, à esquerda, permanece preso enquanto Kleverton, à direita, foi solto em dezembro de 2018. (Foto: Montagem/RIC Mais)

Acusado de matar youtuber é solto e não responderá por homicídio

Relembre o caso

O crime chocou o estado do Paraná por tirar a vida de uma jovem talentosa e cheia de sonhos por um motivo fútil: um desentendimento no trânsito. A youtuber Isabelly foi atingida por um tiro na cabeça enquanto voltava de uma gravação no balneário de Shangri-lá, em Pontal do Paraná na madrugada da quarta-feira de cinzas, 14 de fevereiro de 2018. Ela teve a morte cerebral confirmada no dia 16 de fevereiro e seus órgãos foram doados.

Segundo sua mãe, Rosania Domingos dos Santos, ambas estavam no banco de trás do carro e quando ela olhou para o lado, a filha já estava desmaiada. “Eu estava na janela e só senti os vidros cairem no meu rosto. Eu disse: Gente, levei um tiro. Ai daqui a pouco eu olho a Isabelly caída. Eu falei: A isabelly desmaiou por causa do barulho. Aí quando peguei ela, ela já estava cheia de sangue, saindo sangue no narizinho e da boquinha dela”, contou na época.

Na ocasião, os irmãos Vargas fugiram após o crime e só foram presos depois que a polícia teve acesso a imagens de câmeras de segurança da BR-412, local onde tudo aconteceu. A esposa dos dois, além de um menor de idade também estavam dentro do veículo.

Em interrogatório, eles afirmaram que entenderam a manobra feita pelo carro onde estava Isabelly como uma possível ameaça e suspeitaram de um assalto. Por isso, Everson teria pego a pistola 380 e atirado na direção do veículo onde a jovem estava sentada com a mãe no banco de trás. Nenhum deles possuía antecedentes criminais e a pistola usada era registrada.

Caso Isabelly: irmãos são indiciados por homicídio qualificado

Acusados de matar youtuber Isabelly Santos passam por interrogatório

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.