Notícias

Caso Daniel: audiência é retomada na manhã desta terça-feira (19)

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

19 de fevereiro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 19 de fevereiro de 2019 - 00:00

O jogador Daniel foi assassinado no final de outubro de 2018, após uma festa de aniversário (Foto: Reprodução/Twitter)

As audiências sobre a morte do jogador Daniel Correa estão marcadas para serem retomadas às 9h desta terça-feira; ontem, três testemunhas foram ouvidas

As audiências de instrução do processo sobre a morte do jogador Daniel Correa serão retomadas nesta terça-feira (19), às 9h, no Fórum de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. No primeiro dia, três testemunhas foram ouvidas em cinco horas. A sessão começou com atraso de uma hora e meia e foi encerrada por volta das 20h.

Acusados no 1º dia de audiência

Nesta segunda-feira (18), foram ouvidas Lucas Mineiro e duas testemunhas sigilosas, que são dois jovens que estavam na casa dos Brittes e viram a sessão de espancamento do Daniel.

Allana e Cristiana Brittes chegaram no local com roupas usadas por presas: blusa branca, calça legging cinza e chinelo. Ambas estavam com olheiras, usavam algemas nas mãos e pés, e evitaram contato visual mais prolongado com as pessoas.

Edison Brittes e Eduardo da Silva também estavam com roupas do sistema penitenciário: calça de agasalho e camiseta branca. Edison com os olhos vermelhos, mas com a cabeça erguida.

Já Deivid e Ygor -amigo e namorado de Allana-, estavam com roupas normais e usavam chinelo. Os dois jovens estavam com rostos abatidos e não mantinham olhares com nenhum dos outros acusados.

No término das oitivas, o assistente de acusação Nilton Ribeiro revelou que as testemunhas ouvidas relatam o que aconteceu dentro da casa da família Brittes no dia do assassinato.

Mãe de Daniel acompanha audiência

Eliana Corrêa, mãe do jogador Daniel Freitas Corrêa, chegou no meio da tarde desta segunda-feira (18) no Fórum de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, para acompanhar as audiências de instrução do processo sobre o crime que vitimou seu filho. Visivelmente emocionada, a mãe que veio de Minas Gerais, afirmou ter se preparado para participar dos depoimentos e representar seu filho que não está mais aqui.

“Porque eu sempre acompanhei meu filho em tudo, em todas as horas felizes da vida dele e agora, que fizeram isso com ele, não vou abandonar ele. Eu me preparei para esse momento com terapia, com médico, pra eu ‘tá’ aqui e ‘tá’ representando ele”, afirmou. 

Indagada sobre sua mudança de postura com a imprensa, já que, anteriormente, ela preferia não falar com a imprensa, Eliane falou que não se tratava de uma escolha, mas que ela não tinha forças para falar sobre o assassinato de seu filho. “É porque eu não conseguia nem assistir reportagem [sobre o crime]. Eu não assistia nada, até hoje eu não vejo televisão.”

Sete réus serão ouvidos

No total, são sete réus no processo denunciados pelo Ministério Público (MP-PR), entre eles, Edison Brittes -assassino confesso do jogador-, Cristiana Brittes e Allana Brittes -mulher e filha do suspeito, que também respondem pelo crime.

Todos os réus têm a possibilidade de acompanhar os depoimentos, mas a decisão de aceitar ou não a presença dos acusados é particular. Na denúncia, oferecida pelo MP-PR, em novembro de 2018, a promotoria indicou 14 testemunhas: Quatro são familiares de Daniel, entre elas, a mãe e a ex-companheira do jogador; dois jovens que estiveram na comemoração do aniversário de Allana Brittes horas antes do crime; dois investigadores e um delegado que presidiu o inquérito; as outras cinco pessoas são consideradas ‘testemunhas sigilosas’.

Além disso, cada um dos sete réus no processo tem o direito de indicar as próprias testemunhas de defesa. No caso de Edison, Cristiana e Allana, os advogados arrolaram 48 testemunhas.

Quem são os outros denunciados no caso Daniel:

Ao todo, sete pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) pelo assassinato do jogador. 

Edison Brittes (38 anos): homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor e e coação no curso do processo;

Cristiana Brittes (35 anos):  homicídio qualificado por motivo torpe, coação do curso de processo, fraude processual e corrupção de menor;

Allana Brites (18 anos): coação no curso do processo, fraude processual e corrupção de menor;

Eduardo da Silva (19 anos): homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor;

Ygor King (19 anos):  homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor;

David Willian da Silva (18 anos):  homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual, corrupção de menor e denunciação caluniosa;

Evellyn Brisola (19 anos):  denunciação caluniosa, fraude processual, corrupção de menor e falso testemunho;

INDICIADOS PELO MP-PR PELO ENVOLVIMENTO NO ASSASSINATO DO JOGADOR DANIEL (INFOGRÁFICO: LUANA SILVÉRIO)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.