Economia

Carros novos: inovar-auto pode ser substituído por nova política

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

24 de abril de 2017 - 00:00 - Atualizado em 24 de abril de 2017 - 00:00

Governo federal quer implantar nova política industrial para o setor automotivo (Foto: Divulgação/Chaves na Mão)

Governo federal quer implantar nova política industrial para o setor automotivo. Confira os detalhes!

O atual programa de política industrial para o setor automotivo, Inovar-Auto, está próximo de expirar. Por isso, o governo federal começou a estudar nesta semana uma nova política de longo prazo.  

O programa, batizado de “Rota 2030” pelo Ministério das Indústrias Comércio Exterior e Serviços, têm como objetivo criar um grupo de trabalho para planejar a política industrial e durar mais que o período normal de quatro anos.

Segundo Igor Calvet, Secretário de Desenvolvimento e Competitividade Industrial, “o entendimento hoje desse ministério em especial e do governo, mais amplamente, é de que nós não conseguiremos fazer ou pensar em indústria e fazer política industrial em ciclos muito pequenos porque as decisões empresariais em geral são tomadas em ciclos mais longos”.

Calvet ainda comenta que a política atual (Inovar-Auto) está sendo alvo de muitas críticas por ser “excessivamente protecionista”, impedindo a entrada de carros novos importados no país.

As mudanças não serão expressivas. “Algumas coisas vão ser mantidas. Eu imagino que pesquisa e desenvolvimento e inovação precisam ser mantidas como contrapartidas, eficiência energética precisa ser mantida, a segurança veicular no país precisa ser mantida”, disse o Secretário para os jornalistas.

O ministério ainda afirmou que “para tornar o Brasil um polo global de desenvolvimento e produção de veículos, o novo ciclo da política automotiva terá como guia as novas tendências de mobilidade”.

O objetivo é que até 2030 a indústria nacional deverá contar com tecnologia “equivalente a de mercados avançados, integração ativa na cadeia global de suprimentos, competitividade na produção dos principais sistemas automotivos e capacidade de desenvolvimento de projetos globais”.

Segundo o ministro das Indústrias, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, o Inovar-Auto “teve um olhar muito mais para o mercado interno. Este é o momento de discutirmos as bases para uma abordagem ofensiva no mercado global e buscar a integração competitiva”.