Notícias

Carol Solberg é advertida pelo STJD por grito contra Bolsonaro após vitória no vôlei de praia

Reuters
Reuters
Carol Solberg é advertida pelo STJD por grito contra Bolsonaro após vitória no vôlei de praia
Rede de vôlei de praia em São Conrado, no Rio de Janeiro

13 de outubro de 2020 - 16:30 - Atualizado em 13 de outubro de 2020 - 16:35

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) – A jogadora de vôlei de praia Carol Solberg foi advertida nesta terça-feira pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por ter gritado “Fora Bolsonaro” ao vivo na televisão após conquistar o terceiro lugar em um etapa do circuito nacional, e uma eventual reincidência poderá render uma punição mais severa.

A jogadora foi punida com multa de 1 mil reais, que acabou convertida pela corte em advertência, após ter sido enquadrada no artigo 191 do código disciplinar da categoria, que fala em “deixar de cumprir, ou dificultar o cumprimento de regulamento, geral ou especial, de competição”.

O regulamento da competição veda manifestações políticas, religiosas e de outra natureza pelos atletas, sob pena de prejudicar a competição, a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) e patrocinadores do evento, segundo o texto.

A atleta foi ouvida na audiência do STJD e não demonstrou arrependimento pelas críticas ao presidente.

“Estava muito feliz em ter ganhando o bronze e na hora da minha entrevista não consegui não pensar em tudo o que está acontecendo no Brasil, todas as queimadas, a Amazônia, o Pantanal, as mortes por Covid e tudo mais, e veio um grito totalmente espontâneo de tristeza e indignação por tudo o que está acontecendo”, disse.

“Não me arrependo, de nenhuma maneira. Só manifestei minha opinião, acredito na minha liberdade de expressão”, afirmou.

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEG9C1S7-BASEIMAGE