Notícias

Carnaval de rua de Maringá é cancelado; assista pronunciamento do prefeito

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

28 de fevereiro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 28 de fevereiro de 2019 - 00:00

O Carnaval de rua de Maringá foi cancelado. (FOTO: REPRODUÇÃO/PREFEITURA MARINGÁ)

A suspensão do Carnaval em Maringá ocorreu após uma intimação do Ministério Público; entenda

O prefeito Ulisses Maia (PDT) anunciou o cancelamento do Carnaval de rua de Maringá 2019, no noroeste do estado, no fim da tarde desta quinta-feira (28). Em vídeo, ele explicou que a suspensão do evento se deve a uma intimação do Ministério Público. (Assista abaixo!)

Conforme o prefeito, o Carnaval será cancelado porque não existe um local onde possa ser realizado. “A prefeitura fez tudo o que ela podia fazer para fazer uma festa popular segura e dar alegria para a população. Viabilizamos até um local para levar os 61 cachorros que estão lá no abrigo, este local tem centro cirúrgico e também veterinários para cuidar dos animais. Não foi possível, em respeito ao Ministério Público e as forças de segurança, o Carnaval está cancelado”.

Assista ao vídeo sobre o cancelamento do Carnaval de Maringá:

Segundo dia de pré-Carnaval em Maringá é cancelado pela prefeitura

Neste domingo (24), o segundo dia de pré-Carnaval de Maringá foi cancelado após uma reunião emergencial. Na ocasião, representantes da polícias Militar, Civil e Guarda Municipal declararam que efetivo disponível não era possível garantir a segurança dos participantes.

A baderna causada pelo primeiro dia de pré-Carnaval em Maringá, que reuniu cerca de 15 pessoas, também causou polêmica e serviu como motivação. Segundo moradores da região, houve muito transtorno causado pelos foliões.

Durante a reunião Ademar Paschoal, tenente-coronel da PM, explicou que 50 policiais trabalharam no primeiro dia da festa e tiveram dificuldades para controlar os participantes, assim como foram até ameaçados em meio a multidão. “Não temos condições de garantir a segurança nessa situação”, declarou Paschoal.

Menores de idade do pré-Carnaval

Outro problema que ocorreu no primeiro dia de pré-Carnaval em Maringá foi o fato de inúmeros adolescentes ficarem completamente embriagados e precisarem de atendimento médico. A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) que recebeu os foliões teria ficado lotada de menores de idade.

Carlos Bonfim, conselheiro tutelar, esteve no encontro e afirmou que após um levantamento de todos os atendidos na UPA, irá entrar em contato com os pais desses adolescentes. Ele fez questão de frisar que “A responsabilidade pela conduta dos filhos é da família”.

De acordo com a polícia, fiscais da prefeitura também presenciaram ambulantes e comerciantes do entorno vendendo bebidas alcoólicas para menores de idade e acabaram ameaçados quando tentaram intervir.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.