Notícias

Câmeras em Guaratuba: servidor afastado se emociona e fala em ameaça

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

29 de novembro de 2018 - 00:00 - Atualizado em 29 de novembro de 2018 - 00:00

Em Guaratuba, câmeras de segurança são utilizadas para filmar mulheres na praia.(Foto: Reprodução/Câmeras de Segurança)

Servidores afastados no caso das câmeras de Guaratuba falam em ameaça

Servidores da prefeitura, afastados do cargo após a denúncia de que câmeras de segurança de Guaratuba foram usadas para espiar mulheres, falaram com a RICTV nesta quinta-feira (29). Um deles se emocionou e falou em ameaça e frustração: “Não pude levar minha filha pra escola”.

Guaratuba: servidores ameaçados

“Tem foto minha, da minha esposa. Anteriormente o pai de um adolescente disse que iria ver, tomaria as medidas dele”, disse o servidor sobre as ameaças recebidas após os nomes dos servidores serem divulgados pela Prefeitura de Guaratuba.

Os dois servidores que conversaram com a RICTV, que fazem o plantão da noite, das 19h às 7h, falaram sobre o caso da espionagem de mulheres na areia – as imagens foram feitas durante o dia, fora do horário de trabalho dos dois. No entanto, eles foram afastados sem receber qualquer comunicado pessoal.

“Oficialmente, a gente não foi oficiado pela prefeitura. Só soube do afastamento dentro da mídia de Guaratuba. E outro jornal colocando a foto de uma menor e nossos nomes”, esclareceu. “Mas falta cuidado, zelo, com o servidor e população, ligando nós a essa denúncia”, desabafou o outro.

Mulheres eram filmadas em ‘close’ pelas câmeras de segurança em Guaratuba. (Foto: Reprodução/RICTV)

Câmeras de segurança Guaratuba

Em uma gravação, a câmera de segurança na areia de Guaratuba registra duas jovens que estão no calçadão. Mais um vez quem estava operando o equipamento aproxima a imagem para ver detalhes do corpo das garotas.

Os registos foram feitos através do sistema de monitoramento da cidade de Guaratuba, no litoral do estado. São câmeras como essa que filmam detalhes numa distância de até 30 metros.

Elas são operadas numa central por 16 técnicos de segurança e monitoramento, servidores públicos do município, que se dividem em 4 turnos. As gravações foram descobertas no dia em que técnicos da prefeitura ajudavam a polícia a tentar localizar um menino de 16 anos que desapareceu. Foi no feriadão de 15 de Novembro. Além de mulheres na praia e no calçadão também foram encontradas gravações de hóspedes dentro de um hotel, que também fica na beira da praia.

Investigação do MP em Guaratuba

O Ministério Público do Paraná enviou nota, informando que está acompanhando de perto o caso envolvendo as imagens de câmeras de segurança em Guaratuba. Veja na íntegra:

A respeito dos fatos relacionados a conduta de servidores públicos do município de Guaratuba no uso de câmeras de vigilância, o Ministério Público do Paraná informa:

  • Foi instaurado nesta quarta-feira, 28 de novembro, pela 2ª Promotoria de Justiça de Guaratuba, inquérito civil para a apuração de possível ato de improbidade administrativa dos servidores públicos municipais relacionados aos fatos;
     
  • A medida foi adotada a partir de informações, veiculadas pela imprensa e encaminhadas ao MPPR pela Câmara de Vereadores do Município, que relatam que agentes públicos teriam utilizado equipamentos de monitoramento da Secretaria de Segurança Pública Municipal, em horário de expediente, para filmar em ‘close’ mulheres e adolescentes banhistas nas praias de Guaratuba;
     
  • A apuração busca identificar todos os servidores envolvidos, seja por ação ou por omissão, bem como posterior responsabilização; a autoria da divulgação das imagens; possível dano coletivo na prática dos agentes públicos e a responsabilidade do poder público Municipal;
     
  • De acordo com o procedimento instaurado, a Secretaria Municipal de Segurança Pública deve apresentar, no prazo de cinco dias, as seguintes informações: cópias das imagens registradas pelas câmeras nos dias 16, 17 e 18 de novembro deste ano, com a especificação das informações por equipamento, horário e data; o mapa de todas as câmeras de monitoramento existentes no Município; as escalas de trabalho dos técnicos em monitoramento nas referidas datas; cópia da sindicância instaurada pela administração municipal para apurar os fatos e a identificação de todos os servidores públicos envolvidos (tanto os que gravaram as imagens como os que as divulgaram).

Assista à reportagem em Guaratuba:

O repórter Mauricio Freire tem as informações. Veja!

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.