Notícias

Câmeras de segurança mostram confusão dentro de casa noturna de Curitiba

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

30 de janeiro de 2017 - 00:00 - Atualizado em 30 de janeiro de 2017 - 00:00

Foto: Reprodução

Jovem afirma ter sido levado para um quarto da casa de shows, onde teria sido agredido por vários seguranças, inclusive enquanto estava desacordado

O que deveria ser uma comemoração de aniversário virou uma noite de confusão na casa noturna Woods Bar, em Curitiba. Uma postagem do estudante Willian Marquesini, de 20 anos, viralizou nas redes sociais no último domingo (30). Ele acusa os seguranças da boate de agressão, mas a casa noturna nega ação violenta por parte dos profissionais.

O jovem registrou um Boletim de Ocorrência por lesão corporal. Ele afirma que durante a madrugada de sábado para domingo, foi tirar satisfações com um rapaz que teria assediado a sua namorada dentro do bar, e foi violentamente agredido pelos seguranças da casa em uma sala isolada. “Eu só pensava que eu ia morrer, por tanto chute que eu recebi”, disse.

Ele postou o relato na internet junto com uma foto mostrando os ferimentos no rosto. A postagem teve milhares de curtidas no Facebook e centenas de compartilhamentos.

“Fui agredido por 6 seguranças, com vários pontapés, no abdômen e no rosto, desmaiei pelo menos 2 vezes no meio dessa situação com a presença da minha namorada”, diz um trecho do post.

A direção da casa noturna nega o uso de violência por parte dos seguranças. O advogado Leonardo Buchmann, falou com uma equipe de reportagem da RICTV | Record TV e disse que William foi apenas “contido” pelos seguranças.

As cenas mostram o jovem se desentendendo com um rapaz dentro da casa noturna e logo em seguida sendo contido por um segurança. Outros seguranças se aproximam e levam William para um corredor da casa, onde várias outras pessoas estão passando. As imagens mostram Willian sendo contido pelos profissionais com um mata leão e se contorcendo para tentar se soltar. “Ele foi levado para esse corredor para se acalmar e até que a comanda dele fosse finalizada para que pudesse ir embora”, disse Buchmann.

Um outro trecho das imagens mostram os seguranças acompanhando Willian até a saída, quando o jovem tenta agredir um dos profissionais com um soco no rosto.

“O procedimento de segurança é que cinco homens trabalhem para conter um único cliente envolvido em briga. Isso serve justamente para que nenhum profissional precise agredir ninguém”, explicou o advogado Leonardo Buchmann.

O jovem afirma que foi levado para uma sala onde as agressões aconteceram e que a sobrinha-irmã dele teria sido impedida de entrar neste local. A Woods nega que tenha uma sala de agressões na casa e afirma que o rapaz ficou o tempo lodo em locais onde existem câmeras de segurança.

Rebeca Marquesini, sobrinha da suposta vítima, disse que teve que “fazer um escândalo” para ter acesso a Willian e que ele foi agredido enquanto estava desacordado. “Fui impedida de entrar na sala. Ele foi humilhado”, desabafou a jovem que estava comemorando seu aniversário na casa noturna.

Veja as imagens das câmeras de segurança na reportagem exibida no Balanço Geral Curitiba:

Além de colocar o advogado para falar com a imprensa, a direção da boate enviou uma nota oficial. Confira a íntegra:

 “Na madrugada do último domingo, dia 29 de janeiro, a ação de um jovem no Wood´s Curitiba ganhou grandes proporções nas redes sociais após a divulgação, por meio de seus familiares, de uma suposta agressão realizada pelos seguranças da casa de shows. De acordo com as imagens feitas pelas câmeras de vigilância do empreendimento, presentes em todos os ambientes, fica claro que o jovem não foi agredido pela equipe de segurança do Wood´s.

Por volta das 03h24, as imagens mostram o jovem agredindo um cliente da casa. Na sequência, ele empurra sua namorada. Após as seguintes agressões, os seguranças aparecem para intervir e também são agredidos. Neste momento, a equipe começa o procedimento de retirada.

Na “denúncia” divulgada por sua família, o jovem teria dito que foi mantido em cárcere privado, em uma “salinha” da segurança. Acusação desmentida pelas imagens. As gravações, que mostram o caso do início ao fim, duram pouco mais de 10 minutos (das 3h24 às 3h37), e não tiveram cortes. A equipe passou o tempo todo tentando acalmar o jovem, que permaneceu a maior parte do tempo em um dos principais corredores de acesso do Wood´s, que possui três câmeras de segurança.

O Wood’s já se colocou à disposição das autoridades para prestar assistência referente ao caso, e repudia qualquer ato de violência. Além disso, o empreendimento já está tomando as medidas judiciais cabíveis contra as acusações. As imagens das câmeras de segurança estão à disposição de todos. Para aqueles que não se deixam iludir por qualquer boato e que conhecem o histórico de sucesso do Wood´s em todo o país, a direção reafirma que sempre vai prezar pela verdade e, principalmente, pela segurança de seus clientes e funcionários.”

 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.