Renata
Renata Nicolli Nasrala / Editora com reportagem de Thaís Travençoli da RIC Record TV, Curitiba

6 de fevereiro de 2020 - 00:00

Atualizado em 1 de julho de 2020 - 14:52

Notícias

Ossada humana de pequeno porte é encontrada em quintal de casa em Matinhos

A residência onde a vítima foi localizada é de veranistas que vivem em Curitiba; ainda não é possível afirmar que se trata de uma criança

Ossada humana de pequeno porte é encontrada em quintal de casa em Matinhos

Uma ossada humana de pequeno porte foi encontrada no quintal de uma residência na rua Novo Horizonte, em Matinhos, no litoral do Paraná, no fim da tarde desta segunda-feira (3).

De acordo com informações da Polícia Militar (PM), o homem que localizou o corpo fazia um buraco para colocar uma caixa de gordura no quintal quando fez a descoberta. 

Vítima usava sutiã rosa

Élcio, proprietário da casa, explica que a vítima estava enrolada em um pano azul e que após se deparar com o crânio, parte dos braços e costelas, resolveu chamar a polícia. Segundo ele, o esqueleto mede aproximadamente 1,50 m e foi encontrando ‘vestindo’ um sutiã rosa

cadaver

(Foto: reprodução TVCI)

Diate do ocorrido, uma vizinha contou que há aproximadamente seis meses avistou dois homens nos terrenos que fazem divisa com sua casa. Na época, no entanto, ela acreditou que estavam mexendo no encanamento da residência e, por isso, não estranhou a presença.

“Era um barulho de cavar, aí, eu achei que era o ÉLCIO que tinha vindo e estava fazendo rede de esgoto. Porque todo mundo estava fazendo rede de esgoto. Só que eu vi, não no quintal do ÉLCIO, eu vi no quintal do vizinho os dois rapazes”, explica a mulher. 

A residência onde a ossada foi localizada fica fechada durante o inverno, já que Élcio vive com a família em Curitiba e costuma usá-la apenas durante o verão.

Sem identificação

A ossada foi enviada ao Instituto Médico-Legal (IML) para que um laudo possa apontar o sexo e a idade da vítima:

“As investigações ainda estão no início e é prematuro que a gente afirme qualquer característica desse cadáver, não podemos afirmar que seja uma criança, que seja , uma mulher, uma pessoa adulta. Os vestígios dão um indicativo, mas ainda é muito prematuro ainda”, explica Ivo Dyniewic, coordenador-adjunto da Operação Verão.

Ainda conforme Dyniewic, a Polícia Civil instaurou um inquérito e está trabalhando para levantar uma relação de pessoas desaparecidas na região.