Coronavírus

Brasileiros pedem ajuda do governo para repatriação da Tailândia ao Brasil

Entre o grupo de mais 200 pessoas que não consegue sair do país asiático está um casal de Curitiba; confira os relatos!

Caroline
Caroline Berticelli / Editora
Brasileiros pedem ajuda do governo para repatriação da Tailândia ao Brasil
Foto: Renata Nicolli Nasrala/Colaboração

25 de março de 2020 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 14:50

Inúmeros brasileiros que estão na Tailândia pedem a ajuda do Governo Federal para retornar ao Brasil nos próximos dias. Segundo conta Renata Nicolli Nasrala, de Curitiba, no Paraná, vários voos internos e externos estão sendo cancelados desde madrugada de segunda-feira (23).  

“Até ontem [22 de março], nosso voos estavam todos confirmados, eles até mandaram e-mail confirmando. Aí, deu 4h30 da madrugada, eles enviaram outro e-mail falando que os voos não iam mais operar e que a gente não precisava ir nem no aeroporto porque eles não iam voar e não deram mais nenhuma satisfação. Falaram que lamentam, que vão dar o crédito pra gente voar em outra ocasião, mas que eles não têm o que fazer. Não deram assistência, não deram hotel, não deram nada, estamos por conta própria”, explica a jovem que está junto com o marido em Bangkok. 

O casal conseguiu comprar uma passagem com data prevista para a próxima sexta-feira (27), mas não tem certeza se vai conseguir embarcar:

“A solução que nós encontramos, a princípio, foi comprar uma passagem nova da Tailândia para o Brasil, uma passagem caríssima. Tem poucos voos que vão para o Brasil, muitos deles fazem escala em países de risco e aí, a gente não sabia se ia conseguir sair desses países. Por fim, nós conseguimos um voo que passa pela Etiópia e estamos monitorando, a princípio está tudo bem, mas pode acontecer a mesma coisa. Algumas horas antes, eles podem vir a cancelar sem dar nenhuma satisfação”, diz Arthur Nasrala.

Além disso, Arthur ressalta que a maioria das pessoas não tem como arcar com os custos de um novo voo e precisam do auxílio do governo brasileiro. “Nós por sorte conseguimos comprar essa passagem, mas não é a situação de todo mundo que está aqui. Nem todo mundo tem condição de comprar essa passagem nesse valor e dependem do governo. E tem uma situação mais grave ainda, tem um pessoal no Camboja, cerca de 20 pessoas, que está ‘preso’ e não pode sair de lá. Eles estão ilhados lá”.

Não se sabe o número exato de brasileiros que estão na Tailândia, mas estima-se que o grupo seja de mais de 200 pessoas. De acordo com o Ministério de Relações Exteriores, cerca de 6 mil cidadãos brasileiros estão sem conseguir voltar para casa desde que nações de diferentes regiões decidiram restringir ou fechar por completo a circulação dentro e fora de seus territórios, por conta da crise do novo coronavírus

Pedidos de ajuda também vêm sendo postados nas redes sociais

Embaixada brasileira em Bangkok

Ainda no dia 16 de março, a Embaixada do Brasil em Bangkok publicou, em sua página de rede social, uma recomendação para que brasileiros evitassemviagens  não essenciais  para a Tailândia, Laos e Camboja”, pois a pandemia de COVID-19 poderia causar restrições de locomoção, risco de saúde e possibilidade de impedimento de retorno ao país de origem. Na ocasião, a representação brasileira já alertou como os diversos cancelamentos de voos que vinham ocorrendo. No entanto, para quem já estava no país a orientação era apenas para que evitassem viajar para os países vizinhos e procurassem “retornar para o seu local de moradia habitual”.

Nesta segunda-feira (23), o chefe do Setor Consular da Embaixada, fez uma publicação em um grupo de WhatsApp criado para atender os brasileiros, no qual esclarece que não conseguiu fechar um acordo previsto com a Ethiopian Airlines

“A gente se reuniu com a Ethiopian Airlines não deu o resultado que a gente queria ainda, eles não deram nenhuma informação precisa ainda data, eventuais preços de passagens para caso o voo aconteça. Talvez eles estejam ainda inseguros quanto aos custos e a possibilidade de trazer um avião para cá só pra isso. De qualquer forma, nós ainda estamos conversando e eles levantaram a possibilidade de fazer um voo fretado e eu estou explorando essa possibilidade com outras empresas também de tentar ver quanto custaria um voo para todos os brasileiros, dividindo os custos entre os passageiros, é claro”, pontua. João ainda completa que continua tentando ajuda em Brasília para repatriação: “E também seguimos ainda com as tentativas em Brasília, junto ao Governo, para tentar ver se é possível um voo de repatriação ou que tipo de possibilidade é possível nesse cenário”.

A ideia era lotar uma aeronave só de cidadãos brasileiros e seguir para o país. O que também foi criticado por alguns brasileiros que não têm como pagar pelas passagens de alto custo. O pedido é para que, caso a Embaixada consiga fechar o acordo com alguma companhia, o governo ajude a arcar com os custos.

ATUALIZAÇÃO: Nesta quarta-feira (25), a Embaixada confirmou que a Ethiopian Airlines disponibilizou 216 lugares em voo comercial partindo de Bangkok com destino a São Paulo, no dia 28/3/2020, às 01:30 am, com bilhete custando na moeda tailandesa THB 68.220 (equivalente a 2.078 dólares na cotação do dia, ou seja, mais de R$ 10 mil). 

Para possibilitar o embarque nesse voo, a Embaixada transmitiu à Ethiopian os nomes dos brasileiros que informaram por formulário a capacidade de pagamento de bilhete em voo comercial acima de 2 mil dólares. Além disso, a companhia “Dolicita encarecidamente que o brasileiro pague por sua reserva em dinheiro, no valor exato de THB 68.220”, pois não será possível garantir outras formas de pagamento.

Grupo Consular de Crise

Neste domingo (22), o Itamaraty estabeleceu um Grupo Consular de Crise para assistência aos viajantes brasileiros que estão no exterior e foram afetados pela pandemia do novo coronavírus. As orientações são para que os cidadãos brasileiros preenchem um ‘Formulário emergencial’ disponibilizado por eles e se informem pelos perfis da embaixada ou consulado da região em que estão. 

Aproximadamente de 300 brasileiros que estão em Cuzco, no Peru, serão resgatado por um avião da Força Aérea Brasileira (FAB). Dois aviões com equipes médicas e materiais de defesa biológica decolaram nesta terça-feira (25) para o país. Com a conclusão dessa operação cerca de 900 brasileiros terão sido regressado do Peru.

Estado de Emergência na Tailândia

A partir do dia 26 de março, a Tailândia entrará em estado de emergência pelo menos até o dia 30 de março, devido ao aumento de casos de Covid-19 no país. O anúncio foi feito pelo Primeiro-Ministro tailandês, Prayut Chan-o-cha, em um pronunciamento transmitido pelas redes de televisão locais. 

Conforme o governo tailandês, enquanto durar o estado de exceção, haverá decretação de toque de recolher, a proibição de viagens, o fechamento de edifícios sem mandado judicial e a censura da imprensa, entre outros.