Notícias

Torres irregulares estavam sendo construídas em trajeto de avião de Marília Mendonça

Conforme relatório aeronáutico, torres estavam oferecendo risco á aproximação das aeronaves

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com informações do portal R7
Torres irregulares estavam sendo construídas em trajeto de avião de Marília Mendonça
Reprodução / Google Earth

5 de novembro de 2021 - 20:23 - Atualizado em 5 de novembro de 2021 - 20:24

Torres de alta tensão estavam sendo construídas na rota de pouso de aviões do aeroporto de Ubaporanga, onde a cantora Marília Mendonça deveria pousar na tarde desta sexta-feira (05). A artista e mais quatro pessoas que estavam com ela num avião bimotor morreram na queda da aeronave, a dois quilômetros do aeroporto de destino.

A informação sobre as torres é do portal R7, que conseguiu um relatório do sistema de informações aeronáuticas. O relatório, chamado de Infotemp, aponta que as torres estavam em montagem, oferecendo risco à aproximação das aeronaves, pois violam o plano básico de zona de proteção do aeroporto de Ubaporanga. O relatório apontando essa irregularidade foi divulgado pelo sistema nos dias 3 de julho e 13 de setembro.

Investigação

A informação preliminar que se tem sobre o acidente é que o avião iria pousar, mas teve alguma dificuldade e tentou fazer um pouso forçado. E caiu em uma região de difícil acesso, dificultando inclusive o resgate das cinco vítimas. O Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa) já iniciou as investigações sobre as causas do acidente e emitiu nota oficial sobre as apurações iniciais:

“Investigadores do Terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA 3), localizado no Rio de Janeiro (RJ), órgão regional do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA), foram acionados para realizar a ação inicial do acidente envolvendo a aeronave de matrícula PT-ONJ, nesta sexta-feira (05), em Caratinga (MG).

Na Ação Inicial os investigadores identificam indícios, fotografam cenas, retiram partes da aeronave para análise, ouvem relatos de testemunhas, reúnem documentos, etc. Não existe um tempo previsto para essa atividade ocorrer, dependendo sempre da complexidade da ocorrência.

O objetivo das investigações realizadas pelo CENIPA é prevenir que novos acidentes com características semelhantes ocorram. A conclusão das investigações terá o menor prazo possível, dependendo sempre da complexidade de cada ocorrência e, ainda, da necessidade de descobrir os fatores contribuintes.”

Acidente

Marília havia decolado em Goiânia (GO), com destino a Minas Gerais para fazer um show, na noite desta sexta-feira (05), no Parque de Exposições de Caratinga. Além dela, morreram o produtor geral da cantora, Henrique Ribeiro e o tio e assessor de Marília, Abicieli Silveira Dias Filho, além do piloto e do co-piloto da aeronave, que não tiveram os nomes divulgados ainda.