Brasil

Quadrilha que faturou milhões em fraudes de inventários é presa; paranaense foi uma das vítimas

Nas redes sociais, os membros da quadrilha ostentavam uma vida de luxo.

Aline
Aline Taveira / Produtora com informações da RIC Record TV
Quadrilha que faturou milhões em fraudes de inventários é presa; paranaense foi uma das vítimas
(Foto: Reprodução)

8 de junho de 2021 - 15:21 - Atualizado em 8 de junho de 2021 - 15:21

Uma ação policial em quatro estados brasileiros prendeu uma quadrilha formada por advogados, empresários, servidores públicos e com a participação do neto de uma juíza. Eles são suspeitos de participação em um esquema milionário de fraudes em inventários

Os suspeitos procuravam vítimas que não tinham herdeiros e possuíam altos valores nas suas contas correntes. Dellano Souza e Silva, apontado como chefe da organização criminosa, foi preso em uma casa de alto padrão localizada em Ribeirão Preto (SP), na última semana. 

Nas redes sociais, ele e a família ostentavam uma vida de luxo, assim como outros suspeitos. Dellano e a esposa foram localizados em um condomínio de alto padrão, na zona Sul da cidade.

No momento da abordagem, Dellano se manteve calmo, ironizando os policiais.

“Em um momento oportuno, a gente vai conversar. Quem manda prender a gente, tá envolvido”, afirmou.

As fraudes podem ter rendido aproximadamente R$ 2 milhões aos suspeitos. Foram cumpridos 11 mandados de prisão, oito de busca e apreensão, além do bloqueio judicial de bens os membros da quadrilha. A Operação Inventário aconteceu no Paraná, Paraíba e Piauí.

Segundo a polícia, advogados eram subornados para que os processos de herança fossem agilizados. Alguns dos suspeitos confessaram receber dinheiro para manipular os prazos e facilitar o desenvolvimento dos processos. 

“Nós observamos que os processos (de inventário) andavam bem rápido, em uma velocidade diferente do normal. As pessoas que participavam dessa fraude conseguiram chegar até alguém com poder de influência nas comarcas, que fariam o processo andar conforme o desejo da organização criminosa.”,

afirmou o delegado Anchiêta Nery. 

Ainda de acordo com a polícia, foram apreendidas três motos aquáticas, em Miguelópolis, a 130 quilômetros de Ribeirão, além de dois carros de luxo e documentos, que estavam com o casal no momento da abordagem. 

Um curitibano foi um dos responsáveis pela denúncia da quadrilha. Ao perceber que seu falecido tio poderia ser um dos alvos do esquema, acionou a polícia.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.