Brasil

‘Para mim, a vida acabou’, afirma mãe de Lázaro

Atualmente, Eva e o marido sobrevivem à base de doações, pois tiveram que sair de seus empregos e mudar de endereço

Aline
Aline Taveira / Produtora com informações do Correio Braziliense
‘Para mim, a vida acabou’, afirma mãe de Lázaro
(Foto: Reprodução/TV Bahia)

24 de junho de 2021 - 10:23 - Atualizado em 24 de junho de 2021 - 10:23

Os parentes de Lázaro Barbosa, de 32 anos, foragido há 15 dias e alvo de uma força-tarefa da polícia local, também foram impactados com a fuga do suspeito. Eles afirmam que tem recebido ameaças e a mãe de Lázaro, Eva Maria Sousa, de 51 anos, contou que teve que mudar de casa e perdeu seu emprego.

Ao Correio Braziliense, Eva disse que a prisão do filho seria a melhor solução neste momento e que, desde seu desaparecimento, ele só entrou em contato com ela uma vez.

“Ele entrou em contato uma vez, por telefone. Eu estava muito nervosa e perguntei para ele ‘Cadê a mulher (Cleonice — que estava desaparecida, à época)?’. Ele disse ‘Não sei. Não está comigo’. Depois, não falou mais nada e desligou, quando falei para ele que meu telefone estava rastreado”, contou.

A família do fugitivo tem trocado de telefone e endereço com frequência devido à perseguição de pessoas que desejam fazer justiça. Ela e o marido, com quem está casada há 13 anos, moravam em Águas Lindas, em Goiás, e trabalhavam como caseiros em uma chácara. Depois do ocorrido, eles se mudaram para o interior da Bahia e estão sem emprego.

“Está muito difícil. Não tenho cabeça para nada. Não consigo viver mais. Para mim, a vida acabou. Tivemos de sair do nosso emprego e da cidade. Estamos recebendo muitas ameaças. Não estamos nada bem”, afirmou.

Eva contou ainda que muitos conhecidos se afastaram depois que descobriram que Lázaro era seu filho e que, atualmente, ela e o marido sobrevivem à base de doações.

“Estamos em um lugar onde não há emprego. Mas, por medo, não estou procurando agora. Recebemos ajuda de algumas pessoas, só que é difícil, porque, aqui (onde a família está), todo mundo é muito pobre”, contou.