Brasil

Nuvem de gafanhotos se aproxima do Brasil e pode chegar no Paraná

Em um quilômetro quadrado de nuvem pode haver cerca de 40 milhões de insetos, com capacidade de consumir o equivalente ao que duas mil vacas comem por dia

Estadão
Estadão Conteúdo
Nuvem de gafanhotos se aproxima do Brasil e pode chegar no Paraná
(Foto: Agência Brasil)

24 de junho de 2020 - 10:52 - Atualizado em 24 de junho de 2020 - 17:28

A ministra da Agricultura, Teresa Cristina, informou que a pasta montou um plano para acompanhar nuvem gafanhotos que pode estar a caminho do Brasil.

O Ministério da Agricultura alertou a Superintendência Federal de Agricultura do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

“(É necessário) medidas cabíveis de monitoramento e orientação aos agricultores da região, em especial, no estado do Rio Grande do Sul, para a adoção eventual de medidas de controle da praga, caso esta nuvem chegue em território brasileiro”, disse o Mapa, em nota.

Na segunda-feira (22), a autoridades do governo da Argentina informaram que uma nuvem de gafanhotos levantou voo na província de Corrientes e que pode atravessar a fronteira com o Rio Grande do Sul. As imagens dos insetos se espalharam pelas redes sociais.

Em comunicado, o governo da província de Córdoba informou que, em um quilômetro quadrado de nuvem, pode haver cerca de 40 milhões de insetos, com capacidade de consumir em um dia o equivalente ao que duas mil vacas poderiam comer no mesmo período.

A ministra Teresa Cristina disse que o governo já monitora a situação. “Montamos já um plano de monitoramento, para acompanhar o deslocamento desses gafanhotos. A gente espera que ele não chegue ao Brasil, mas todas as ações que podem ser tomadas, já tem um grupo de acompanhamento e as ações que podem ser implementadas caso isso aconteça”, afirmou.

De acordo com a Senasa (Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agroalimentícia da Argentina), os insetos seguiram na direção sul e devem chegar à província de Entre Ríos.

Segundo as autoridades argentinas, a nuvem teve origem no Paraguai e vem atravessando o país desde a semana passada, apesar de já terem identificado um grupo de gafanhotos no final de maio. Nesse meio tempo, lavouras de milho foram totalmente destruídas pela praga.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.