Mirian
Mirian Villa

15 de novembro de 2019 - 00:00

Atualizado em 15 de novembro de 2019 - 00:00

Brasil

Homem morre após teste físico de concurso da Guarda Municipal

Segundo familiares, o homem se preparava para a prova há alguns meses e era saudável

Um homem morreu depois de participar de um teste físico para um concurso da Guarda Municipal de Belo Horizonte. O motoboy, de 25 anos, fazia a prova de atletismo e desmaiou na pista durante a execução de uma prova de corrida de 2.400 metros.

Homem morre após concurso: desmaiou no teste físico

Pedro Avelar da Silva havia concluído o curso de Gestão Pública neste ano e se inscreveu no concurso pensando em dar uma vida melhor para a esposa e o filho, que tem três anos. Segundo familiares, o homem se preparava para a prova há alguns meses e era saudável. Nós últimos dias, ele treinava exclusivamente para a prova, com a ajuda da mulher, Marcilene Silva Rodrigues.

Ele fazia cinco quilômetros correndo com a gente aqui e nunca deu nenhum problema, nada. E dois quilômetros lá, com ele saudável, perfeito, ele cai e acontece isso? E ninguém sabe o que aconteceu“, contou a mulher de Pedro Avelar.

A família acredita que houve excessos nos testes, falta de monitoramento e de uma equipe de primeiros socorros. A mãe de Pedro recebeu uma ligação quando o motoboy já estava internado na Unidade de Pronto Atendimento Oeste, que fica no bairro Jardim América, na capital mineira.

Meu filho estava usando fralda, em um colchão sem lençol, pedindo muita água, pedindo para fazer massagens nas pernas e nos pés, que ele estava sentindo muito calor. O colchão estava muito molhado, os cabelos dele, tudo molhado de suor”, disse Maria do Carmo sobre o estado do homem após o concurso.

Durante a madrugada, Pedro piorou e precisou ser entubado. Ele foi transferido para o Hospital Célio de Castro. Porém, o homem morreu no dia seguinte.

Família diz que candidato de concurso era saudável

A família está em busca de explicações, já que o jovem eram saudável, tinha uma boa alimentação e malhava seis vezes por semana.

No atestado de óbito do homem que morreu após concurso, constam como causas da morte: acirose metabólica grave, insuficiência renal aguda e rabdomiólise, que é a degradação do tecido muscular. Segundo a esposa de Pedro, Marcilene Rodrigues, o marido não tinha problema de saúde e os médicos disseram que Pedro estava extremamente desidratado.

Guarda Municipal se pronunciou por meio de nota

Por meio de nota, a Guarda Civil Municipal de Belo Horizonte informou que a Fundação Guimarães Rosa foi a empresa vencedora da licitação para a realização do concurso. A Fundação confirmou que Pedro apresentou atestado médico que comprovava sanidade física e mental e que desmaiou durante a modalidade de corrida de 2.400 metros.

A entidade informou que o homem foi socorrido ainda na pista de atletismo e encaminhado para a UPA, acompanhado de um coordenador da Fundação, e disse estar solidária com a família do candidato.

*Esse conteúdo foi elaborado a partir de matéria publicada originalmente no R7