Notícias

Com sangramento, grávida perde bebê após motorista de app negar corrida

Mulher estava tendo sangramento e chamou o carro para ir ao hospital, mas o motorista teria desistido da corrida no meio do caminho

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com informações do R7
Com sangramento, grávida perde bebê após motorista de app negar corrida
Foto: reprodução Record TV

26 de agosto de 2020 - 14:42 - Atualizado em 26 de agosto de 2020 - 14:42

Uma grávida perdeu o bebê após o motorista de um aplicativo de corrida se negar a terminar o trajeto com destino a um hospital de São Paulo nesta segunda-feira (24).

De acordo com informações da Record TV, a gestante estava com um sangramento e chamou um veículo para levar ela e sua mãe ao pronto atendimento. Entretanto, ao chegar em seu endereço e perceber a situação da mulher, o homem teria dito que se o sangramento “manchasse o banco ela teria que pagar”.

Grávida perde bebê após motorista desistir da corrida e largá-la em um posto de combustíveis

Daiany Franco, de 31 anos, estava grávida de 13 semanas.

Conforme a vítima, após ressaltar diversas vezes seu “incômodo” com o sangramento, o homem desistiu da corrida e a deixou em um posto de combustíveis para que ela e a mãe chamassem outro carro para levá-las ao hospital.

Daiany Franco, de 31 anos, já no hospital após perder o bebê.
(Foto: Reprodução/Record TV)

Nas imagens das câmeras de segurança do posto é possível ver quando Daiany e a mãe descem do carro. Desesperada, a mãe da gestante pede ajuda aos frentistas e outros motoristas que estavam no local. Além disso, as imagens também mostram a grávida visivelmente com fortes dores enquanto aguarda socorro.

Em alguns minutos uma viatura da Polícia Militar chega ao local e leva as duas mulheres ao hospital, onde Daiany passou por uma cirurgia após ter sido constatada a perda do feto.

Conforme a mulher, se o motorista a tivesse levado ao hospital talvez existisse chances de salvar a criança.

A princípio, a plataforma da qual o motorista faz parte alegou que o indivíduo foi bloqueado da plataforma e que já está em contato com a vítima prestando todo o suporte necessário.