Brasil

“Não há o que se comemorar quando acontece uma morte”, diz advogado da família morta por Lázaro

Lázaro é o suspeito de matar os quatro integrantes da família em 9 de junho, quando começaram as buscas por seu paradeiro

Aline
Aline Taveira / Produtora com informações do Metrópoles e do G1
“Não há o que se comemorar quando acontece uma morte”, diz advogado da família morta por Lázaro
(Foto: Reprodução)

28 de junho de 2021 - 15:31 - Atualizado em 28 de junho de 2021 - 15:35

Os advogados da família Vidal, vítima da chacina ocorrida no dia 9 de junho, em Ceilândia, no Distrito Federal, estiveram, nesta segunda-feira (28), em Girassol (GO) após ficarem sabendo da morte de Lázaro. Ele morreu após resistir à abordagem policial e entrar um confronto com a polícia.

Fábio Alves, um dos representantes da defesa, afirmou ao Metrópoles que os parentes receberam a informação com muito alívio.

“Não há o que se comemorar quando acontece uma morte. A família se sente mais tranquila. Sabemos muito bem que Lázaro não agia sozinho. Há pessoas dando cobertura. Financiaram os crimes que Lázaro cometia. A gente vai deixar a polícia trabalhar e temos a certeza que eles vão achar os demais comparsas que ajudaram Lázaro.”

A defes acredita, ainda, em várias possibilidades pela motivação dos crimes cometidos por Lázaro.

“Briga por terras, crimes cometidos para comprar áreas mais baratas, vingança. Tudo isso vai ser apurado para um desfecho da polícia”, concluiu.

Lázaro é o principal suspeito de matar Cláudio Vidal de Oliveira, 48 anos, Gustavo Marques Vidal, 21, e Carlos Eduardo Marques Vidal, 15. Cleonice Marques de Andrade, 43 anos, esposa de Cláudio e mãe das outras vítimas, foi sequestrada e teve o corpo encontrado dias depois, em um matagal, sem roupa e com um corte nas nádegas, em uma zona de mata perto da BR-070.

Ivan, que é irmão de Cleonice, afirmou ao G1 que os familiares ainda tentam se recuperar das perdas.

“Era melhor que fosse pego vivo, para pagar pelo que fez. Acionamos nosso advogado e vamos aguardar o que pode acontecer agora.”, disse ele.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.