Brasil

Casal que dopou, esquartejou e carbonizou vizinho é preso

Após o crime, o casal comemorou o crime em um hotel da cidade

Aline
Aline Taveira / Produtora com informações do Metrópoles
Casal que dopou, esquartejou e carbonizou vizinho é preso
(Foto: Divulgação/PCDF)

27 de maio de 2021 - 10:41 - Atualizado em 27 de maio de 2021 - 10:41

Uma mulher suspeita de dopar, matar e esquartejar um vizinho, na última quarta-feira (19), foi presa nesta quinta-feira (27) pela Polícia Civil do Distrito Federal. Seu companheiro, também suspeito do crime, foi preso no último dia 21. O homem morto foi assassinado com um facão, teve o corpo desmembrado e carbonizado e, em seguida, foi jogado em um poço, localizado no Parque Gatumé, no Distrito Federal.

De acordo com as investigações, a mulher dopou a vítima com tranquilizante, ligou o som alto da residência para os vizinhos não ouvirem a execução do crime e desferiu inúmeros golpes de facão, até matar. Logo depois, juntamente com o marido, enrolou a vítima em um cobertor, a colocou em um carrinho e carbonizou parcialmente o corpo.

Câmeras de segurança flagraram o momento que a dupla utiliza um carrinho para levar a vítima até o local da ocultação do cadáver. Após o crime, o casal foi para um hotel na cidade, comemorar o assassinato.

“A vítima era amiga do casal. A casa estava repleta de sangue por todas as paredes da sala. O autor narra a execução com frieza assustadora e diz que utilizou um facão para esquartejar a vítima. Jogou [o corpo] em um poço e foi comemorar a morte com a mulher em um hotel. Depois, tentaram limpar os vestígios na casa, queimaram o sofá que estava muito sujo de massa encefálica da vítima e venderam os pertences dela como material de reciclagem. Disse que, mesmo enquanto a vítima já estava agonizando no chão, continuou a furá-la só para ‘curtir a onda’. Continuava furando o crânio da vítima com o facão”,

explicou o delegado Rodrigo Carbone ao Metrópoles.

Confira o vídeo compartilhado pelo Metrópoles:

O primeiro suspeito foi indiciado pelos crimes de homicídio qualificado, ocultação de cadáver e fraude processual. A mulher foi indiciada por fraude processual e ocultação de cadáver.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.