Brasil

Bebê de 10 meses tem duas pernas quebradas por padrasto

Para se livrar da culpa, o homem inventou que havia ocorrido um acidente e, por isso, o bebê havia quebrado a perna

Mirian
Mirian Villa

11 de novembro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 11 de novembro de 2019 - 00:00

Um bebê de 10 meses teve as duas pernas quebradas pelo padrasto em Jundiaí, no interior de São Paulo. Segundo a polícia, o menino era torturado pelo homem desde setembro.

Bebê tem pernas quebradas durante tortura de padastro

O bebê de 10 meses estava com gesso na perna esquerda quando a direita foi quebrada pelo padrasto. Percebendo a segunda fratura em poucos dias, a mãe voltou com o filho para o hospital com a suspeita da doença dos ‘ossos de vidro’. Porém, no local, os médicos logo descartaram a suspeita.

Quando foi questionada sobre as pessoas que estavam convivendo com o menino, a mãe questionou o companheiro. Para se livrar da culpa, ele inventou que havia ocorrido um acidente e, por isso, o bebê havia quebrado a perna.

O menino passou por exame de corpo de delito e a delegada que cuida do caso conversou com médicos e especialistas, que apontaram que as lesões na criança foram causadas por torções.

Agressões iniciaram por ciúmes

No dia o bebê chegou com as pernas quebradas no hospital, o Conselho Tutelar foi avisado e o padrasto apanhou os pertences e fugiu da residência. Para a mãe do bebê, ele disse que queria se separar.

Após alguns dias, um mandado de prisão preventiva foi expedido pela Delegacia da Defesa da Mulher e o homem foi preso na última quarta-feira (6).  Durante interrogatório, o padrasto negou que quebrou as pernas do bebê e afirmou, novamente, que foi acidente o último episódio.

O suspeito e a mãe do bebê já haviam sido casados e se separaram. Depois de se envolver com outro homem e engravidar, a mulher retomou o primeiro relacionamento. O casal tentou ter mais um filho mas ela não conseguia engravidar, o que gerou ciúmes no acusado. Ele teria, então, descontado a frustração no enteado.

*Esse conteúdo foi elaborado a partir de matéria publicada originalmente no R7