Renata
Renata Nicolli Nasrala / Editora

2 de junho de 2020 - 09:47

Atualizado em 2 de junho de 2020 - 09:47

Brasil

Grupo de hackers Anonymous expõem dados pessoais da família Bolsonaro

Dados como telefone celular e endereços, que são privados, também foram expostos pelos hackers

Grupo de hackers Anonymous expõem dados pessoais da família Bolsonaro
Foto: Jayme/Ascom/TSE

O grupo de hackers conhecido como Anonymous divulgou dados pessoais da família Bolsonaro e alguns aliados na noite desta segunda-feira (1).

Ao todo, os dados vazados foram do presidente Bolsonaro, dos seus filhos Flávio, Carlos e Eduardo, além dos ministros Abraham Weintraub, da Educação, e Damares Alves, da pasta da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, além dos dados do deputado estaduial Douglas Garcia (PSL-SP).

Anonymous expõem dados família Bolsonaro: parte das informações divuldagadas já são públicas

Apesar do transtorno, parte das informações divulgadas pelos hackers conhecidos como Anonymous já são públicas, como por exemplo a declaração de bens.

Entretanto, dados como telefone celular e endereços, que são privados, também foram expostos pelos hackers.O grupo também já prometeu divulgar informações sobre a relação entre o presidente Bolsonaro e Donald Trump.

O empresário Luciano Hang, proprietário da rede de lojas Havan, também foi alvo do grupo na rede social.

Além de dados pessoais, os hackers publicaram uma foto do que seria a confirmação de que Hang recebeu o auxílio emergencial de R$ 600, que é pago pelo governo federal.

O deputado estadual Douglas Garcia, um dos políticos que teve dados revelados, afirmou que registrou um boletim de ocorrência.

“Anonymous Brasil, de forma criminosa, acaba de divulgar todos os meus dados nas redes sociais. Para que colocar os meus familiares em risco? Para que divulgar o endereço de minha casa? Os lugares em que trabalhei? Estou indo agora mesmo na delegacia fazer um boletim de ocorrência”, disse Garcia no Twitter na noite desta segunda-feira (1).

Quem são os Anonymous?

O grupo de hackers Anonymous nasceu em 2003 com o objetivo de lutar pelos direitos da população contra os governos. Em seguida, em 2008, o grupo ficou conhecido por utilizar o hacktivismo para promover a liberdade de expressão.

Desde então, o grupo ficou anos longe das redes, mas tudo mudou em um estalar de dedos logo depois da morte de um homem negro identificado como George Floyd, que teria sido asfixiado durante uma abordagem policial em Minneapolis, nos Estados Unidos (EUA), no dia 25 de maio.

Após a grande repercussão online, o grupo de hackers Anonymous reativou as redes e afirmou que irá expor os “podres” mais íntimos dos crimes da polícia norte-americana, assim como crimes relacionados a igreja, polícia, família real e até ao Brasil.

Em um vídeo divulgado na última quinta-feira (28), os hackers deram um recado para a polícia local.

“Os policiais envolvidos na morte de George Floyd devem ser responsabilizados, presos e acusados por este crime, ou então eles poderão achar que tem uma licença para matar. O povo está cansado da corrupção e violência de uma instituição que prometeu protegê-lo”, afirma o vídeo.

Ainda no vídeo, o grupo ressalta que infelizmente não confia em uma organização corrupta pra fazer justiça. “Estaremos expondo seus muitos crimes ao mundo, nós somos Legion, nos aguarde”, termina o vídeo.