Notícias

Brasil investiga casos suspeitos de “fungo negro” após surto ligado à Covid-19 na Índia

Reuters
Reuters
Brasil investiga casos suspeitos de “fungo negro” após surto ligado à Covid-19 na Índia
Mercado em Nova Délhi

31 de maio de 2021 - 12:53 - Atualizado em 31 de maio de 2021 - 12:55

RIO DE JANEIRO (Reuters) – Autoridades sanitárias do Amazonas e de Santa Catarina investigam casos prováveis de mucormicose, infecção causada por um fungo conhecido como “fungo negro” que teve uma disparada recente relacionada a casos de Covid-19 na Índia.

De acordo com a Secretaria de Saúde de Santa Catarina, a suspeita de infecção por “fungo negro” no Estado está relacionada a um homem de 52 anos, morador de Joinville, que teve diagnóstico confirmado de Covid-19 em fevereiro.

“Assim que tomamos conhecimento do caso, seguimos o protocolo e informamos imediatamente ao Ministério da Saúde, que emitiu um alerta nacional por meio da rede Cievs dos Estados”, disse o Superintendente de Vigilância em Saúde do Estado, Eduardo Macário, em nota, no domingo, referindo-se ao Centro de Informações Estratégicas e Vigilância em Saúde (Cievs).

Procurado, o Ministério da Saúde não respondeu de imediato a um pedido de informações sobre o alerta nacional citado pelo governo catarinense.

No Amazonas, a Fundação de Vigilância em Saúde do Estado disse ter registrado um caso provável de mucormicose em um paciente que morreu no mês passado após apresentar sintomas gripais, mas que teve resultado negativo em teste para Covid-19.

O homem tinha histórico de diabetes, uma das doenças consideradas comorbidades da Covid-19 e que foi relacionada na Índia ao surgimento de casos de “fungo negro”.

Segundo as autoridades do Amazonas, ele tinha recebido apenas uma das duas doses da vacina contra Covid-19 CoronaVac quando apresentou os primeiros sintomas gripais.

“O caso está sendo monitorado pelo Cievs Nacional e a investigação será concluída após análise de material coletado pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen/AM), a ser enviado para a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro”, disse a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas em nota.

Atual epicentro da pandemia de Covid-19 no mundo, a Índia relatou neste mês uma disparada de casos de “fungo negro”, representando um desafio adicional para pacientes de Covid-19 com histórico de diabetes ao provocar escurecimento ou descoloração do nariz, visão turva ou dupla, dor no peito, dificuldades respiratórias e tosse com sangue.

Médicos indianos disseram que o uso de esteróides para tratar casos graves de Covid-19 também podem estar relacionados ao aparecimento da infecção.

(Por Pedro Fonseca, com reportagem adicional de Bruno Kelly em Manaus)

tagreuters.com2021binary_LYNXNPEH4U0MG-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.