Notícias

Bolsonaro rechaça que estimule “rupturas democráticas” ao defender voto impresso

Reuters
Reuters
Bolsonaro rechaça que estimule “rupturas democráticas” ao defender voto impresso
Presidente Jair Bolsonaro

12 de janeiro de 2021 - 18:10 - Atualizado em 12 de janeiro de 2021 - 18:15

BRASÍLIA (Reuters) – O presidente Jair Bolsonaro rechaçou nesta terça-feira afirmações de que estaria estimulando uma eventual invasão de simpatizantes à Câmara dos Deputados ao defender a aprovação de uma proposta legislativa para adotar o voto impresso no país.

“Estão falando que eu estou querendo invadir a Câmara… Quem invadiu foi o pessoal do PT, do MST”, disse ele, citando invasão, liderada pelo então dirigente do Movimento de Libertação dos Sem-Terra (MLST) e então membro da Executiva do PT Bruno Maranhão, à Câmara em 2006.

“Quando eu falo que estou querendo evitar isso, eu sou acusado de querer estimular aí rupturas democráticas. Pelo contrário, deixo bem claro, vai continuar o voto eletrônico, apenas vai ter uma urna ao lado e vai cair o voto”, emendou.

Na semana passada, Bolsonaro disse que o Brasil poderia enfrentar um cenário pior que o vivido pelos Estados Unidos após apoiadores do presidente Donald Trump invadiram o prédio do Congresso, caso o país não adote o voto impresso na eleição presidencial de 2022.

(Reportagem de Ricardo Brito)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH0B1I3-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.