Notícias

Bolsonaro diz que STF interfere em outros Poderes após decisão sobre CPI da Covid

Reuters
Reuters
Bolsonaro diz que STF interfere em outros Poderes após decisão sobre CPI da Covid
Presidente Jair Bolsonaro em Brasília

9 de abril de 2021 - 08:22 - Atualizado em 9 de abril de 2021 - 08:25

SÃO PAULO (Reuters) – O presidente Jair Bolsonaro disse na noite de quinta-feira que o Supremo Tribunal Federal (STF) interfere em outros Poderes, após o ministro Luís Roberto Barroso determinar a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito no Senado para investigar a gestão da pandemia de Covid-19 no Brasil.

Em entrevista à CNN Brasil na noite de quinta, o presidente também reclamou da decisão da corte de permitir que Estados e municípios proíbam a realização de cultos religiosos para evitar aglomerações e tentar frear a disseminação do coronavírus.

“Não há duvida que há uma interferência do Supremo em todos os Poderes”, disse o presidente à emissora, lembrando que existem no Senado pedidos de impeachment contra ministros da Suprema Corte.

Na noite de quinta, Barroso determinou a instalação pelo Senado da CPI da Covid, que terá como objetivo apurar supostas omissões do governo federal no enfrentamento à pandemia, em decisão vista pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), como equivocada e que poderá atrapalhar os esforços de combate à doença.

Na liminar, o ministro destacou que a Constituição estabelece que as CPIs devem ser instaladas quando há assinatura de um terço dos integrantes da Casa, além de indicação de fato determinado a ser apurado.

Sobre a decisão do Supremo de, por 9 votos a 2, permitir que Estados e municípios proíbam a realização de cultos religiosos, Bolsonaro defendeu a abertura dos templos e, ao contrário do que afirmam especialistas, que apontam o risco de transmissão da Covid-19 em locais fechados, disse que o risco de transmissão nos templos é “quase zero”.

Bolsonaro, que constantemente ataca governadores e prefeitos que adotam medidas restritivas na tentativa de frear a disseminação da Covid-19, defendeu na entrevista à emissora a necessidade de se evitar conflitos no combate à pandemia e fez a acusação, sem citar nomes, de que existem pessoas que atuam fora dos limites da Constituição.

“O Brasil está sofrendo demais e o que nós menos precisamos é de conflitos. Da minha parte, você sabe a minha posição. Respeito completamente a nossa Constituição. Não tem um pingo fora das quatro linhas da mesa”, afirmou.

“Seria bom se todo mundo jogasse dentro das quatro linhas”, acrescentou.

(Por Eduardo Simões)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH380PP-BASEIMAGE