Notícias

Bolsonaro diz que decidirá em março se irá tentar reeleição

Reuters
Reuters
Bolsonaro diz que decidirá em março se irá tentar reeleição
Presidente Jair Bolsonaro

27 de outubro de 2021 - 21:10 - Atualizado em 27 de outubro de 2021 - 21:15

Por Maria Carolina Marcello

BRASÍLIA (Reuters) – O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira que decidirá em março do próximo ano se irá concorrer a um segundo mandato.

Ainda sem partido para entrar na disputa eleitoral, o presidente precisa estar filiado a uma sigla pelo menos seis meses antes do pleito, marcado para outubro, para estar apto a disputar a reeleição.

“Vou decidir em março se vou ser candidato à reeleição”, disse Bolsonaro na noite desta quarta em entrevista à Boas Novas TV.

Eleito em 2018 pelo então nanico PSL, o presidente deixou a legenda em 2019 após disputa com o presidente da sigla, deputado Luciano Bivar.

Na segunda-feira, o presidente do PL, Valdemar Costa Neto, divulgou vídeo em que reitera o convite a Bolsonaro para que se filie à legenda. Costa Neto foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no caso do mensalão e foi preso pelo seu envolvimento no esquema em dezembro de 2013. Em 2016 recebeu o perdão da pena e foi solto, beneficiado pelo indulto presidencial publicado no final de 2015.

Bolsonaro chegou a anunciar a criação de uma nova sigla, o Aliança pelo Brasil, mas o processo não andou e nem sequer se aproximou do número mínimo de assinaturas exigido pela Justiça Eleitoral para dar entrada na criação da nova legenda.

O presidente também chegou a flertar com o Patriota, outro partido nanico ao qual o senador Flávio Bolsonaro (RJ) se filiou, mas disputas e resistências internas na legenda impediram que as tratativas avançassem.

Outra alternativa é o PP, partido do ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, e do presidente da Câmara, Arthur Lira (AL). A possibilidade ganhou força, mesmo tendo parte considerável do partido contrária.

Além de PL e PP, um outro caminho possível para Bolsonaro é o PTB, de Roberto Jefferson, que está preso desde 13 de agosto por determinação do STF, acusado de realizar ataques pela internet a instituições democráticas no âmbito de inquérito que investiga as chamadas milícias digitais. O PTB formalizou no início deste mês o convite de filiação a Bolsonaro.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH9R008-BASEIMAGE