Notícias

Bolsas de NY sobem e Nasdaq renova recorde de fechamento

Estadão
Estadão Conteúdo

23 de junho de 2020 - 18:05 - Atualizado em 23 de junho de 2020 - 18:05

As bolsas de Nova York registraram sessão positiva, com o Nasdaq batendo novo recorde de fechamento nesta terça-feira ,23. Declaração do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre a fase 1 do acordo comercial com a China acalmou investidores, que deixaram em segundo plano os riscos de nova onda de contágios pela covid-19, com uma importante autoridade de saúde americana demonstrando otimismo sobre a chance de haver mais adiante uma vacina para a doença.

O índice Dow Jones fechou em alta de 0,50%, em 26.156,10 pontos, o S&P 500 subiu 0,43%, a 3.131,29 pontos, e o Nasdaq ganhou 0,74%, a 10.131,37 pontos.

Trump foi ao Twitter no fim da noite deseta segunda, 22, para garantir que o acordo comercial com Pequim segue em vigor, o que apoiou o mercado acionário e foi decisivo hoje, segundo avaliação do BMO Capital. Ainda pela manhã de hoje, porém, dados frustrantes de atividade dos EUA tiraram fôlego dos índices. A IHS Markit informou que o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do país subiu a 46,7 em junho, abaixo da previsão de 48,0, e que o PMI da indústria avançou a 49,6, quando analistas previam 52,0.

Ainda assim, os ganhos se sustentaram. O movimento ganhou fôlego mais adiante, após o diretor do Conselho Econômico da Casa Branca, Larry Kudlow, minimizar os riscos de uma segunda onda de casos da doença no país.

O diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos, Anthony Fauci, mostrou confiança nas pesquisas por uma vacina para a covid-19. Embora tenha dito que não é possível garantir, ele se disse “cautelosamente otimista” e mencionou que poderia haver vacina disponível até o início de 2021. Ao mesmo tempo, Fauci também mencionou, durante depoimento na Câmara dos Representantes, que há um “salto perturbador” em casos da covid-19 em Estados como Texas, Flórida e Arizona. De qualquer modo, ele disse que os EUA agora estão mais preparados para novos surtos da doença, em comparação com meses atrás.

Entre algumas ações em foco, Royal Caribbean Cruises chegou a recuar, após ter informado que não deve operar por mais tempo, até meados de setembro. O papel, porém, ainda teve tempo de se recuperar e fechou em alta de 4,82%, recuperando uma pequena parte das fortes perdas deste ano. Entre algumas ações importantes, Apple subiu 2,13% e Microsoft, 0,67%, apoiando o Nasdaq. Boeing, por outro lado, caiu 0,34%, após alternar entre ganhos e baixas. No setor financeiro a jornada foi mais positiva: Citigroup subiu 1,71%, Goldman Sachs ganhou 0,67% e Bank of America, 0,69%.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.