Notícias

Vereadores votam bilhete único e tarifa diferenciada para Curitiba

A previsão é de que a proposta seja votada nesta segunda-feira

Mirian
Mirian Villa
Vereadores votam bilhete único e tarifa diferenciada para Curitiba
A proposta pretende incentivar o uso dos ônibus na Capital (Foto: Daniel Castellano / SMCS)

9 de setembro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 15:38

Nesta segunda-feira (9), é pauta na Câmara Municipal o bilhete único e a tarifa diferenciada no transporte coletivo de Curitiba. A proposta é do vereador Bruno Pessuti (PSD), que pretende incentivar o uso dos ônibus na Capital.

Câmara vota projeto que afeta transporte coletivo

De acordo com Pessuti, a ideia é criar condições jurídicas para viabilizar a passagem com preço diferenciado, em determinado horários e linhas, além do bilhete único. “No texto do chefe do Executivo, se fala em ‘tarifa diferenciada’, sendo que no presente texto tal tarifa já está prevista, quando se prevê a tarifa variável”, defende.

“Em horários que não sejam de pico, a tarifa vai baixar”, afirmou, na reunião, o líder do governo no Legislativo, vereador Pier Petruzziello (PTB). Tanto a redação original quanto o substitutivo pretendem incluir dispositivos na lei municipal 12.597/2008, que dispõe sobre a organização do transporte coletivo de Curitiba.

O que é o bilhete único?

Com o bilhete único, os passageiros podem comprar uma única passagem e utilizar por um determinado tempo. Por exemplo, em São Paulo, você compra um único bilhete e pode pegar mais de um ônibus no prazo de duas horas.

O que é a tarifa diferenciada no transporte coletivo?

Com a tarifa diferenciada, você pode pagar menos que o valor integral da passagem em determinados horários e em determinadas linhas. Com isso, a Prefeitura acredita que a rotação do transporte coletivo aumente.

Créditos do cartão-transporte de Curitiba

Ao acrescentar o texto do Executivo à sua proposição, Pessuti trata não só da tarifa variável (diferenciada), regulamentada via decreto, mas também da vigência dos créditos do cartão-transporte por um ano, com exceção da Linha Turismo.

Créditos expirados seriam incorporados ao Fundo de Urbanização de Curitiba (FUC). Se aprovada pelo plenário, em dois turnos de votação, e sancionada pelo prefeito, a lei entrará em vigor 30 dias após a publicação no Diário Oficial do Município.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.