Notícias

Biden diz que está traçando um plano para a crise entre Rússia e Ucrânia

Reuters
Reuters

4 de dezembro de 2021 - 13:41 - Atualizado em 4 de dezembro de 2021 - 13:41

Por Trevor Hunnicutt

WASHINGTON (Reuters) – O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse na sexta-feira que está desenvolvendo iniciativas abrangentes para dificultar a invasão da Ucrânia pelo presidente russo, Vladimir Putin, e que ele não aceitaria as “linhas vermelhas” de Moscou, já que aumentavam os temores de que o conflito pode explodir em guerra.

Uma videoconferência entre os dois líderes está prevista para alguns dias.

Mais de 94 mil soldados russos estão concentrados perto das fronteiras da Ucrânia, disse o ministro da Defesa da Ucrânia, Oleksii Reznikov, que citou relatórios de inteligência sugerindo que Moscou pode estar planejando uma ofensiva militar em grande escala para o final de janeiro.

Moscou, por sua vez, acusou a Ucrânia e os Estados Unidos de comportamento desestabilizador e sugeriu que Kiev pode estar se preparando para lançar sua própria ofensiva no leste da Ucrânia, o que as autoridades ucranianas negam.

“O que estou fazendo é reunir o que acredito ser o conjunto mais abrangente e significativo de iniciativas para tornar muito, muito difícil para o senhor Putin prosseguir e fazer o que as pessoas estão preocupadas que ele vá fazer”, disse Biden, sem entrar em detalhes.

Ao partir para uma viagem de fim de semana a Camp David na sexta-feira, Biden disse a repórteres: “Estamos cientes das ações da Rússia há muito tempo e minha expectativa é que teremos uma longa discussão com Putin.”

“Não aceito as linhas vermelhas de ninguém”, disse ele sobre as exigências da Rússia.

Autoridades americanas e ucranianas alertaram novamente esta semana que severas sanções econômicas estão sobre a mesa contra a Rússia.

“Desde o início deste governo, demonstramos que os Estados Unidos e nossos aliados estão dispostos a usar uma série de ferramentas para lidar com as ações russas prejudiciais”, disse um alto funcionário dos EUA, falando sob condição de anonimato, quando questionado sobre o plano de Biden que está em desenvolvimento. “Não hesitaremos em fazer uso dessas e de outras ferramentas no futuro.”

(Reportagem de Trevor Hunnicutt, Steve Holland, Humeyra Pamuk, Alessandra Galloni e Simon Lewis)