Notícias

Biden alertará Putin para piores sanções até hoje se Rússia invadir Ucrânia

Reuters
Reuters
Biden alertará Putin para piores sanções até hoje se Rússia invadir Ucrânia
Presidente dos EUA, Joe Biden, durante pronunciamento na Casa Branca

7 de dezembro de 2021 - 08:43 - Atualizado em 7 de dezembro de 2021 - 08:45

Por Steve Holland e Andrew Osborn

WASHINGTON/MOSCOU (Reuters) – O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, usará uma videoconferência com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, nesta terça-feira para dizer a ele que seu país será alvo das piores sanções econômicas até hoje se invadir a Ucrânia, disseram autoridades norte-americanas.

Elas disseram que as sanções, que uma fonte disse poderem visar os maiores bancos da Rússia e sua capacidade de converter rublos em dólares e outras moedas, foram concebidas para dissuadir Putin de usar os milhares de soldados reunidos perto da fronteira com a Ucrânia para atacar.

O Kremlin nega reiteradamente ter essas intenções e diz que o posicionamento dos soldados é puramente defensivo. Por sua vez, o governo russo expressa dúvidas sobre as intenções ucranianas e diz querer garantias de que a Ucrânia não usará a força para tentar retomar território perdido para separatistas apoiados pela Rússia.

Antes de sua primeira conversa direta com Putin desde julho, Biden consultou aliados europeus na segunda-feira para debater planos para as sanções contra a Rússia e buscar uma postura forte em apoio à soberania e à integridade territorial da Ucrânia.

Biden conversou com o presidente francês, Emmanuel Macron, a chanceler alemã, Angela Merkel, o primeiro-ministro italiano, Mario Draghi, e o premiê britânico, Boris Johnson.

Eles conclamaram a Rússia a amenizar as tensões e retomar a diplomacia e disseram que suas equipes se manterão em contato próximo, inclusive em consultas com aliados da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e parceiros da União Europeia, para uma “abordagem coordenada e abrangente”, disse a Casa Branca.

A equipe de Biden identificou uma série de penalidades econômicas para impor caso a Rússia inicie uma invasão, disse uma autoridade de alto escalão do governo dos EUA.

Outra fonte a par da situação disse que se debateu visar o círculo íntimo de Putin, mas que nenhuma decisão foi tomada. Sanções contra os maiores bancos da Rússia e sua capacidade de converter rublos em dólares e outras moedas também estão sendo cogitadas, disse outra fonte.

A rede CNN noticiou que os EUA poderiam incluir a medida extrema de desligar a Rússia do sistema de pagamentos internacional Swift, usado por bancos de todo o mundo.

Já a agência Bloomberg noticiou que os EUA e aliados europeus estão estudando sanções contra o Fundo Russo de Investimento Direto.

(Reportagem adicional de Idrees Ali em Washington, Gleb Stolyarov em Moscou e Michelle Nichols nas Nações Unidas)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEHB60I3-BASEIMAGE