Notícias

‘Barcos-fantasma” da Coreia do Norte assombram litoral do Japão

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

31 de dezembro de 2017 - 00:00 - Atualizado em 31 de dezembro de 2017 - 00:00

Remover os barcos sai caro para os moradores de Oga. (Foto: R7/Reprodução/CNN)

Somente este ano, 96 barcos de pesca norte-coreanos naufragaram no Japão

*Do R7

A cidade de Oga, na península de mesmo nome, fica no noroeste do Japão e tem pouco mais de 28 mil habitantes. Neste ano, o governo da localidade pediu ajuda a autoridades federais por um motivo inusitado, os “barcos-fantasma” norte-coreanos que não param de encalhar em suas praias. As informações são da rede de notícias CNN.

São barcos de pesca com comprimento de 15 a 20 pés (4,5 a 6 metros) que aparecem destruídos na costa japonesa, muitas vezes com pescadores norte-coreanos mortos dentro. Apenas nos últimos meses, apareceram cinco embarcações do tipo nas praias de Oga.

Quando encalham em locais de difícil acesso nas praias rochosas da região, os barcos dão prejuízo aos moradores. A remoção de cada um custa cerca de 24 mil reais, e o orçamento local não está dando conta.

Segundo as autoridades, somente em 2017, foram encontrados os corpos de 27 pescadores norte-coreanos. Outros 42 foram resgatados com vida, mas pediram para voltar ao país de origem. Este ano, foram recolhidos 96 desses barcos na costa ocidental do Japão.

Diversos fatores podem explicar o fenômeno. No período do inverno, o clima no norte do Mar do Japão fica muito turbulento, favorecendo os naufrágios. Outro motivo possível seria o esgotamento da população de peixes no litoral próximo à Coreia do Norte, o que força os pescadores, com barcos pouco apropriados, a se aventurarem cada vez mais em mar aberto.

De acordo com pesquisadores sul-coreanos ouvidos pela CNN, o fato do governo de Kim Jong-un ter cedido direitos de pesca para empresas chinesas no seu território em anos recentes pode ter ajudado a diminuir os cardumes e forçado os pescadores locais a irem mais longe. É a opinião de Ma Chang-mu, pesquisador do Instituto Marítimo Coreano, na Coreia do Sul.

– Os peixes são um recurso vital para a Coreia do Norte, porque são a fonte mais barata de proteína e eles também os vendem para a China facilmente. As exportações para o mercado chinês cresceram 88% só este ano.

A falta de informações por parte do governo norte-coreano impede que os japoneses tenham a exata dimensão do problema, mas eles acreditam que podem existir centenas de outras pequenas embarcações à deriva no Mar do Japão, com tripulantes mortos ou necessitando de resgate.

Leia também:

 

 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.