Notícias

Baleia jubarte é encontrada morta com marcas de rede de pesca em praia de Superagui

É a quinta baleia jubarte encalhada no litoral paranaense nos três últimos meses; a causa da morte do animal será investigada

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais
Baleia jubarte é encontrada morta com marcas de rede de pesca em praia de Superagui
Foto: PMP-BS/UFPR

26 de julho de 2021 - 17:50 - Atualizado em 26 de julho de 2021 - 17:51

Uma baleia jubarte foi encontrada morta, em estágio inicial de decomposição, na praia deserta do Parque Nacional do Superagui, no litoral do Paraná, a 6km da vila local, neste último domingo (25). 

De acordo com pesquisadores do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS/UFPR), o animal era juvenil, media 8 metros e apresentava marcas de interação com redes de pesca, as quais deixaram lesões profundas ao longo de seu corpo.

Apesar dos ferimentos causados pelas redes de pesca, apenas investigação mais aprofundada com auxílio de exames complementares laboratoriais, feitos com os materiais biológicos coletados, poderá identificar a causa da morte da baleia

Ainda segundo o projeto, esta é a quinta baleia jubarte encalhada no litoral paranaense nos três últimos meses: uma na Ilha do Mel; uma no Balneário Shangrilá, em Pontal do Paraná; uma em Brejatuba, em Guaratuba e duas na Ilha do Superagui. 

Baleias jubarte no Paraná

Desde o início do PMP-BS, em 2015, já foram registrados encalhes de 17 baleias da mesma espécie no litoral paranaense, incluindo indivíduos adultos e jovens. 

A população de baleias jubartes do oceano Atlântico Sul vem ao Brasil todos os anos para a reprodução. Apesar da principal área de procriação da espécie ser no litoral da Bahia, com frequência, elas também têm sido avistadas na região sudeste e sul do país.

Segundo o Instituto Baleia Jubarte, os encalhes dos grandes mamíferos marinhos ocorrem por diversos motivos, entre eles, morte natural, aproximação dos animais à costa e aumento da interação com redes de pesca e embarcações. A aproximação da zona costeira ainda é um mistério e motivo de investigação pelos cientistas, que apontam que pode ser causado pela recuperação da população da espécie ou até reflexo das mudanças climáticas.