Notícias

Avaliação do governo Bolsonaro piora, mas condução na pandemia reverte tendência, indica pesquisa XP

Reuters
Reuters
Avaliação do governo Bolsonaro piora, mas condução na pandemia reverte tendência, indica pesquisa XP
Presidente Jair Bolsonaro

5 de abril de 2021 - 20:07 - Atualizado em 5 de abril de 2021 - 20:10

BRASÍLIA (Reuters) – A avaliação do governo Jair Bolsonaro manteve a trajetória de piora no final de março, mas, no momento mais grave da pandemia de Covid-19 no país, a condução do combate ao coronavírus pelo chefe do Executivo reverteu a tendência anterior e mostrou alguma melhora na percepção dos brasileiros, ainda que em patamares baixíssimos, mostrou pesquisa XP/Ipespe divulgada nesta segunda-feira.

A sondagem apontou que 48% avaliam o governo como ruim ou péssimo, ante 45% no levantamento anterior, em meados do mês passado.

Mas, apesar dos contínuos recordes de casos e mortes por Covid-19 no Brasil nas últimas semanas, a avaliação ótima ou boa foi de 18% a 21%, enquanto a ruim ou péssima de Bolsonaro na pandemia passou de 61% a 58%.

Em todos os casos, as variações ficaram dentro da margem de erro, de 3,2% para mais ou para menos.

Os que consideram o governo ótimo ou bom oscilaram para 27%, ante 30% na pesquisa anterior.

A diferença de 20,3 pontos percentuais entre os que têm avaliação negativa e os que têm avaliação positiva é a maior desde maio do ano passado, segundo o instituto.

A desaprovação à maneira de o presidente governar passou de 56% para 60%, enquanto a aprovação foi de 38% para 33%.

O país atravessa um duro momento, registrando em alguns dias mais de 3 mil óbitos por Covid-19 em 24 horas, colapso nos sistemas de saúde e críticas de demora na imunização. Recentemente, o governo trocou pela terceira vez o titular da Saúde durante a crise sanitária.

Em meio a essa situação, no entanto, houve uma clara mudança de postura do governo federal em relação ao esforço para aquisição de vacinas e à importância da imunização da população contra a doença.

A pesquisa XP/Ipespe entrevistou 1.000 pessoas de abrangência nacional nos dias 29, 30 e 31 de março.

(Reportagem de Ricardo Brito)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH3412J-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.