Notícias

Athletico fica proibido de registrar atletas por duas janelas

Imbróglio envolvendo atacante Rony e o Albirex Nigata, clube em que o jogador atuava antes de chegar ao Furacão, traz punições ao clube e ao atleta

Guilherme
Guilherme Almeida Com informações do Globoesporte.com
Athletico fica proibido de registrar atletas por duas janelas
Rony defendeu o Furacão entre 2018 e o início de 2020 (Foto: Miguel Locatelli/ Athletico)

13 de julho de 2020 - 14:47 - Atualizado em 13 de julho de 2020 - 15:21

Uma antiga ação judicial do Albirex Nigata, do Japão, trouxe problemas para Rony, Palmeiras e Athletico. Nesta segunda-feira (13), a Câmara de Resoluções de Litígio da FIFA, puniu o atacante palmeirense, com quatro meses de suspensão.

Devido a mesma ação, o Athletico, clube que o jogador defendeu até fevereiro deste ano, também fica impedido de registrar novos jogadores nas próximas duas janelas de transferências. Ainda cabe recurso na Corte Arbitral do Esporte (CAS). O prazo é de 21 dias.

A punição tem caráter imediato, e começa a valer à partir desta segunda-feira (13), e inclui jogos de competições nacionais e internacionais. O jogador, além de ficar proibido de atuar por quatro meses, também terá que pagar ao clube japônes o valor de U$ 1.129,499 (cerca de R$ 6 milhões).

Também será acrescido uma taxa de 5% de juros, à partir de março de 2019 até a data de pagamento, cujo prazo é de 30 dias, segundo informações do Globoesporte.com.

Para o Palmeiras, a punição é somente técnica, já que não poderá utilizar o atleta durante um bom período. Em meio a novela da transferência de Dudu para o Al Duhail, do Catar, o clube se vê em um problema, pois contava com o jogador como possível substituto do atleta no ataque palmeirense.

Já, para o Athletico, a sentença da FIFA foi bem clara:

“O Clube Athletico Paranaense, tem que ser banido de registrar novos jogadores, para competições nacionais ou internacionais, pelas próximas duas e consecutivas janelas de transferência”, cita a entidade máxima do futebol, em sua decisão.

O período relativo das duas janelas ainda não está totalmente claro. Breno Tannuri, advogado do Albirex Nigata, entende que a punição equivale às janelas de julho de 2020 e janeiro de 2021; no entanto, segundo a reportagem do Globoesporte.com, outros advogados disseram que o período é equivalente há dois anos.

O Athletico e seu presidente, Mário Celso Petraglia, ainda não se manifestaram oficialmente sobre o assunto, no entanto, o clube deve entrar com recurso no CAS e pedir um efeito suspensivo. Esta reportagem será atualizada assim que o clube se manifestar.

O Caso Rony

Em 2018, antes de chegar ao Athletico, o jogador chegou a ir para o Rio de Janeiro, onde treinou e vestiu a camisa do Botafogo. O Albirex Nigata, no entanto, vetou a negociação, alegando que o jogador ignorou um contrato de três anos com o clube japonês.

Foi então, que apareceu o Athletico. O Rubro-Negro solicitou ao Albirex, a liberação do ITC, – sigla de Certificado de Transferência Internacional – mas o clube se recusou a conceder a permissão. Os advogados do Furacão levaram o caso a FIFA, e depois de dois meses, o jogador pode ser registrado pelo clube paranaense, em agosto de 2018.

No período de agosto de 2018 a fevereiro de 2020, o atacante virou ídolo da torcida, sendo peça fundamental no elenco. Foram 73 partidas disputadas, com 13 gols marcados e três títulos conquistados (Sul-Americana, J.League/Conmebol e Copa do Brasil).

O atleta disputou sua última partida pelo clube na final da Super Copa do Brasil, competição pela qual o Athletico foi derrotado pelo Flamengo, por 3 x 0. Após uma longa novela, o Furacão vendeu o atacante para o Palmeiras, pelo total de 6 milhões de euros (R$ 28 milhões).