Notícias

Ataque escola no Paraná: vítima se recupera e volta a andar sozinha; VEJA!

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

28 de novembro de 2018 - 00:00 - Atualizado em 28 de novembro de 2018 - 00:00

Bruno se recupera e já voltou a andar sozinho após ataque em escola (Reprodução)

Vítima de um ataque em uma escola em Medianeira, no interior do Paraná, Bruno Facundo se recupera e já anda sozinho após ser atingido nas costas

O estudante Bruno Raphael Facundo, de 15 anos, ferido durante o ataque em escola no Paraná, ainda se recupera dos ferimentos. A boa notícia, é que ele já deu os primeiros passos para o recomeço. Um vídeo gravado pela família do jovem mostra os primeiros passos após o ataque ocorrido na cidade de Medianeira, na região Oeste do estado. Assista abaixo!

Vítima de ataque em escola

Em um vídeo publicado nas redes sociais, Eder Facundo, pai da vítima, agradece o apoio recebido pelos profissionais que trabalham na recuperação de Bruno, em Curitiba. O jovem foi transferido para receber tratamento na capital onde estava internado em um centro de reabilitação hospital especializado na recuperação de lesões na coluna vertebral.

Bruno Facundo foi atingido na região da lombar – por um projétil de uma pistola garrucha – e teve parte dos movimentos no lado esquerdo corpo afetados. Conforme os médicos, a recuperação foi rápida e até surpreendente.

Bruno, que sempre se mostrou disposto a perdoar o atirador, disse que aos pais que quer fazer uma tatuagem com a palavra “perdão” no braço. Mas, pela pouca idade, os pais ainda não permitiram.

Segundo o pai, a família do atirador frequenta a mesma igreja que a família de Bruno. “Ele se lamenta que a bala pegou no amigo dele, no Bruninho. Nosso coração não tem nenhum tipo de rancor, de ressentimento. A gente já perdoou”, garante o pai.

O estudante não vai mais para a escola em 2018. De acordo com os pais, ele já tinha notas para passar e as faltas foram abonadas devido ao estado de saúde. Durante o período em que vai ficar em casa, se recuperando dos ferimentos, o estudante recebe o conteúdo dos professores e pedagogas, além de trabalhos.

Dois estudantes ficaram feridos no ataque a tiros dentro de uma escola na cidade de Medianeira, no Paraná (Reprodução)

Ataque escola Medianeira no Paraná

À época do ataque ao Colégio Estadual João Manoel Mondrone, em Medianeira, o atirador e o amigo que estava armado com um faca confessaram que saíram de casa decididos a disparar contra mais de cinco alvos e que esperaram a porta da sala de aula ser fechada para dar início à ação.

O plano inicial era tirar da sala aqueles que não deveriam ser feridos (momento em que esqueceram de retirar o amigo) para só então jogar a bomba caseira e atirar contra os alunos.

No entanto, na manhã daquela sexta, eles não chegaram a usar a bomba, após retirarem alguns alunos da sala de aula, um deles já começou a atirar com a arma de fogo, enquanto o outro, assustado, ficou paralisado e não fez nada. Além de Bruno, outro estudante também foi ferido de raspão na perna.

Adolescente ferido em ataque a colégio de Medianeira volta para casa. (Foto: Arquivo familiar)

Bullying dos colegas

Os dois jovens detidos informaram, em entrevista ao Portal Guia Medianeira, que sofriam  bullying desde 2013 e que mesmo tendo relatado o fato à direção da escola, nada foi feito. Quando perguntados se a intenção era matar, eles disseram que se não fosse possível matar, queriam ao menos causar ferimentos nos colegas.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.