Notícias

“Única coisa que faz a gente levantar é a esperança por justiça”, diz irmã de jovem morto na Praça do Gaúcho

Thor Lucas foi morto em junho deste ano enquanto estava com amigos na Praça do Gaúcho; após três meses, o suspeito ainda não foi preso

Caroline
Caroline Berticelli / Editora
“Única coisa que faz a gente levantar é a esperança por justiça”, diz irmã de jovem morto na Praça do Gaúcho
Thor morreu antes da chegada do socorro. (Foto: Reprodução/RICTV)

10 de setembro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 15:37

Thor Lucas, de 23 anos, foi assassinado na Praça do Gaúcho, na Rua Trajano Reis, no bairro São Francisco, em Curitiba, na noite de 9 de junho deste ano. Três meses após o crime, a família do jovem ainda esperar por respostas. (Assista reportagem abaixo)

Segundo a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), existe um suspeito, mas, até o momento, ele não foi preso e a polícia não sabe o que teria motivado a execução.

Família de jovem assassinado na Praça do Gaúcho quer justiça

A irmã de Thor, que não quis se identificar, conta que a família não consegue se recuperar da morte prematura do jovem. 

“Ontem fez três meses que os dias passam e a gente fica em casa esperando o meu irmão entrar pela porta da sala. Minha família está muito abalada. Infelizmente, ele saiu num domingo a tarde e não voltou mais”, disse. 

Ela ainda explica que a esperança de que os criminosos, que cometeram o assassinato na Praça do Gaúcho, sejam encontrados é o que dá forças para todos continuarem suas vidas. 

“As nossas vidas nunca mais serão as mesmas e a única coisa que faz a gente levantar a cabeça e continuar seguindo é a esperança por justiça”.

Relembre o crime na Praça do Gaúcho 

Thor estava sentado na calçada da Praça do Gaúcho quando um carro com três indivíduos parou, um deles desceu do veículo e disparou cerca de quatro tiros contra a vítima. Dezenas de pessoas presenciaram o crime. 

Sua mãe e sua irmã foram até o local para fazer o reconhecimento do corpo. Em desespero, ambas desmaiaram e precisaram ser amparadas por policiais militares que atendiam a ocorrência.

Assista à reportagem completa:

O Balanço Geral Curitiba conversou com a irmã do jovem morto na Praça do Gaúcho

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.