Notícias

Arthur Weintraub deixa cargo no Planalto para assumir posição na OEA

Reuters
Reuters
Arthur Weintraub deixa cargo no Planalto para assumir posição na OEA
Logo da OEA durante reunião da organização em Cancún

15 de setembro de 2020 - 16:40 - Atualizado em 15 de setembro de 2020 - 16:45

Por Lisandra Paraguassu

BRASÍLIA (Reuters) – O assessor especial da Presidência Arthur Weintraub, irmão do ex-ministro da Educação Abraham Weintraub, deixou nesta terça-feira o cargo no governo federal para assumir uma posição na Organização dos Estados Americanos (OEA).

Em um vídeo publicado nas redes sociais ao lado do presidente Jair Bolsonaro, Arthur anunciou a mudança e disse que está “triste por deixar de ser assessor do presidente”, mas acrescentou que vai assumir um cargo em sua área, o direito.

Professor de direito na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Arthur e o irmão eram considerados especialistas na área previdenciária e trabalharam com Bolsonaro desde a campanha eleitoral.

Ambos começaram sua passagem pelo governo na Casa Civil com o então ministro da pasta Onyx Lorenzoni: Abraham como secretário-executivo e Arthur como assessor especial.

Arthur, como o irmão, é dado a polêmicas em redes sociais. É considerado um nome da ala ideológica do governo, amigo dos filhos de Bolsonaro.

Nos últimos meses, como assessor especial de Bolsonaro, Arthur havia se tornado o organizador da defesa do uso da hidroxicloroquina no tratamento da Covid-19, apesar da falta de comprovação científica de eficácia do medicamento. Foi o responsável por organizar dois encontros de Bolsonaro com grupos de médicos que defendem o tratamento.

Arthur voltará a ficar próximo do irmão, já que Abraham vive em Washington desde junho, quando foi indicado para uma diretoria do Banco Mundial depois de deixar o ministério por ser apontado como um dos principais pontos de conflito entre o Executivo e o Supremo Tribunal Federal (STF).

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEG8E1TF-BASEIMAGE