Notícias

Polícia Civil resgata cães e pássaros em Curitiba e Araucária

Além de cães, foram encontrados pássaros silvestres mantidos em cativeiro sem autorização legal

Guilherme
Guilherme Becker / Editor
Polícia Civil resgata cães e pássaros em Curitiba e Araucária
As apreensões ocorrem em Curitiba e Araucária (FOTO: DIVULGAÇÃO/ PC DPMA)

6 de setembro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 15:38

A Polícia Civil do Paraná prendeu quatro pessoas por crimes ambientais na Região Metropolitana de Curitiba (RMC) entre quarta e quinta-feira (4 e 5). Numa das ocorrências, cães foram resgatados de um canil clandestino. Nas outras, foram encontrados pássaros silvestres mantidos em cativeiro sem autorização legal.

Canil clandestino em Araucária

O primeiro caso foi no bairro Fazendinha, em Araucária, em que um canil clandestino foi encontrado pela Polícia Civil. Os animais eram mantidos em espaço inadequado, sem condições de terem acesso a banho de sol e atendimento veterinário.

(FOTO: DIVULGAÇÃO/ PC DPMA)

Os fiscais da prefeitura aplicaram multa de R$ 14,5 mil à tutora dos animais. A mulher de 46 anos foi presa e encaminhada para a delegacia. A suspeita disse que iria se manifestar somente em juízo. A pena prevista é de até um ano e meio de prisão, além de multa.

Apreensão de pássaros silvestres

Em uma outra situação na quarta-feira (4), policiais civis foram até o bairro Xaxim, em Curitiba, e encontraram pássaros silvestres em cativeiro, sem autorização ambiental. Um papagaio-de-peito-roxo e três pássaros da espécie pintagol foram resgatados no local. O tutor dos animais, de 74 anos de idade, recebeu voz de prisão e foi encaminhado para a delegacia. A pena prevista para o crime é de até um ano de prisão mais pagamento de multa.

Na quinta-feira (5) a PCPR resgatou dois pássaros silvestres da espécie trinca-ferro, sem autorização ambiental, em um mercado na Vila Guaíra, em Curitiba. O tutor do animal, de 35 anos, recebeu voz de prisão e foi encaminhado para a delegacia. A pena prevista é de até um ano, além de multa.

Em uma residência no bairro Portão, também na Capital, os policiais civis resgataram um papagaio da espécie verdadeiro, sem autorização ambiental. A tutora do animal, de 52 anos, foi presa em flagrante e encaminhada para a delegacia. A pena prevista é de até um ano de prisão mais pagamento de multa. Todos os suspeitos responderão a termo circunstanciado em liberdade.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.