Notícias

Após 2 dias de combate às chamas, incêndio em parque estadual de SC é controlado

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

12 de setembro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 12 de setembro de 2019 - 00:00

Um incêndio destruiu uma área de aproximadamente mil hectares no Parque Estadual da Serra do Tabuleiro, situado em Palhoça na Grande Florianópolis, em Santa Catarina. Segundo os bombeiros de Palhoça, o fogo teve início na terça-feira, 10, mas relatos de moradores da Guarda do Embaú, indicam que havia grandes focos fumaça já na segunda, 9. O Parque Estadual da Serra do Tabuleiro é considerado uma das maiores unidades de conservação ambiental de Santa Catarina, totalizando 84 mil hectares e abrangendo 8 cidades catarinenses, entre elas: Florianópolis, Santo Amaro da Imperatriz, Águas Mornas, São Bonifácio, Palhoça, Paulo Lopes e Garopaba, na Grande Florianópolis, e Imaruí, no sul do Estado.

O Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA) calcula que a extensão da queimada equivale a aproximadamente 1.400 campos de futebol. De acordo com o Corpo de Bombeiros de Palhoça, o trabalho de combate às chamas mobilizou cerca de 100 bombeiros militares e civis de Palhoça e também dos municípios de Camboriú, Porto Belo, Itapema, Brusque, São Jose, Santo Amaro, Tubarão, Itajaí e Criciúma.

“O fogo já está controlado. Estamos aguardando uma chuva prevista para a tarde desta quinta-feira, 12, para amenizar a situação. Temos uma força-tarefa que está no local controlando os pequenos focos. A população local também se preocupou em ajudar no combate as chamas. Nosso comandante do Corpo do Bombeiros, Tenente Marcelo Pereira está neste momento no local agora, e poderá dar mais informações detalhadas hoje à tarde”, adiantou o sargento Luís Carlos Gomes.

Pelo telefone, o militar afirmou que o vento sul de terça-feira dificultou o combate às chamas no Parque Estadual da Serra do Tabuleiro. “Esse vento (sul) aproximava o fogo para perto de algumas residências, e foi preocupante, mas os bombeiros fizeram um trabalho forte para deter que o fogo se aproximasse das casas. Na quarta, o vento mudou para o sentido nordeste, o que ajudou os bombeiros no combate ao fogo”, disse o sargento Gomes.

A área continuava sendo monitorada ao longo da manhã desta quinta-feira com o auxílio de drones, principalmente na região sul do Parque. A Polícia Civil investiga as causas do incêndio na reserva florestal.

Ao jornal O Estado de S. Paulo, o geógrafo e coordenador do Centro de Visitantes do Parque Estadual da Serra do Tabuleiro, Luiz Pimenta afirmou que “infelizmente ainda é difícil de mensurar os danos ambientais, o impacto deste incêndio. Temos uma diversidade muito grande de animais dentro do parque, ou seja, mais de 200 espécies de aves e mamíferos, como o ‘gato do mato’, um felino que está em extinção”, disse.

Entre os animais resgatados durante o incêndio estava um jabuti encontrado pelo soldado da Polícia Militar Ambiental (PMA) Leonardo Régis.