Notícias

Ao menos 17 pessoas morrem na Etiópia em protestos por autonomia dos Sidama, dizem autoridades

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

20 de julho de 2019 - 00:00 - Atualizado em 20 de julho de 2019 - 00:00

Por Dawid Kaminski

ADIS ABEBA (Reuters) – Pelo menos 17 pessoas foram mortas em confrontos entre as forças de segurança da Etiópia e ativistas que reivindicam uma nova região autônoma para o grupo étnico Sidama, de acordo com um policial e representantes de um hospital. 

Um policial local disse à Reuters neste sábado que pelo menos 13 pessoas foram mortas em uma cidade perto de Hawassa, a 275 km da capital Adis Abeba, enquanto representantes de um hospital disseram na sexta-feira que quatro manifestantes morreram em decorrência de ferimentos à bala. 

Encorajados por reformas políticas introduzidas pelo primeiro-ministro Abiy Ahmed desde que assumiu em 2018, ativistas Sidama quiseram declarar unilateralmente um novo Estado regional na quinta-feira.    

Embora a ameaça de violência em larga escala em Hawassa ter sido evitada após um partido de oposição Sidama ter concordado em postergar a declaração e aceitado a oferta do governo de realizar um referendo em cinco meses, nem todos os Sidama aceitaram o atraso.

A Etiópia tem nove Estados regionais baseados em etnias, que são supervisionados pelo governo federal em Adis Abeba, mas têm autonomia sobre receitas e forças de segurança.