Notícias

Mulher ameaçada de morte pelo ex- marido é executada no portão de casa na Grande Curitiba

Na segunda-feira (2), o ex teria ido até a casa da mulher para ameaçá-la mais uma vez; ele está preso em Bocaiúva do Sul

Mirian
Mirian Villa
Mulher ameaçada de morte pelo ex- marido é executada no portão de casa na Grande Curitiba
A mãe da vítima assistiu a execução da própria filha. (Foto: Reprodução/RICTV)

3 de setembro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 15:38

Uma mulher ameaçada de morte pelo ex-marido foi assassinada no portão de casa em Bocaiúva do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba, na manhã desta terça-feira (3). Adriana Pereira dos Santos, de 29 anos, foi executada com três tiros quando atendia a um chamado pelo seu nome em frente à residência. O suspeito fugiu do local. 

Mulher ameaçada de morte pelo ex estava com medo

De acordo com a Polícia Civil, Adriana e o Reginato Gonçalves, que foram casados por cerca de 11 anos e juntos tiveram dois filhos, sempre viveram um relacionamento conturbado. Quando a relação chegou a o fim a situação não mudou e o ex passou a ameaçá-la de morte por não aceitar a separação

Segundo a mãe da vítima, que viu a filha ser morta, nesta segunda-feira (2), Reginato foi até a casa onde as duas viviam e ameaçou mais um vez a ex-mulher. “Ela disse ‘mãe, o Reginato falou que vai mandar me matar’. Ela não queria sair nem na estrada. Não podia sair porque ele vinha com o facão pra pegar ela”, conta a mulher que também explica que após o fim do casamento, o ex permaneceu vivendo nas proximidades. 

Ex-marido é preso e nega o crime

Reginaldo não foi reconhecido como o atirador que matou sua ex-mulher, no entanto, para a polícia não existem dúvidas de sua participação no crime. Ele foi preso ainda durante a manhã e nega envolvimento com o homicídio. 

“Eu não devo nada, jamais eu faria uma coisa dessa aí. Eu não fiz e não tinha motivo pra fazer isso também”, diz o ex-marido.  

Delegado não acredita no ex

O delegado Bradock, responsável pela investigação, explica que existiam inúmeros Boletins de Ocorrência feitos pela esposa contra Reginaldo, além de uma medida protetiva, que deveria impedir o homem de se aproximar a ex-companheira. No dia 10 de setembro, inclusive, os dois deveriam comparecer em uma audiência.  

“É lógico que tem [participação]. Com um histórico já de bastante tempo, onde ele e a falecida viviam se travando do cacete, B.O. de ameaça, B.O de desobediência, B.O de toca fogo, B.O de querer matar os outros”, declara o delegado sobre o ex-marido da vítima. 

Ainda conforme Bradock, o atirador já foi identificado e a polícia faz buscas para encontrá-lo. 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.