Notícias

Alta dos preços ao produtor na China desacelera em novembro

Reuters
Reuters
Alta dos preços ao produtor na China desacelera em novembro
Linha de produção da Kids II Inc em Jiujiang, China

9 de dezembro de 2021 - 08:42 - Atualizado em 9 de dezembro de 2021 - 08:45

PEQUIM (Reuters) – A inflação na porta de fábrica da China esfriou ligeiramente em novembro, com uma repressão do governo aos preços em disparada das commodities e uma menor restrição energética, em meio aos esforços de Pequim para diminuir os efeitos paralisantes dos custos crescentes sobre a economia.

O índice de preços ao produtor saltou 12,9% em novembro, disse o Escritório Nacional de Estatísticas na noite de quarta-feira (horário de Brasília), abaixo da taxa de 13,5% de outubro, que foi a máxima em 26 anos, mas acima dos 12,4% esperados em pesquisa da Reuters com analistas.

Embora a inflação nas fábricas permaneça desconfortavelmente alta, a moderação de preços pode dar aos formuladores de política monetária alguma liberdade para disponibilizar mais estímulos para sustentar o crescimento em desaceleração.

O índice de preços ao consumidor subiu 2,3% com relação ao mesmo período do ano anterior, disse escritório em comunicado separado. A taxa veio abaixo das expectativas de aumento de 2,5%, mas acima do registro de 1,5% de outubro.

A inflação ao consumidor permanece modesta, já que as restrições à Covid-19 impedem o consumo e pesam sobre a demanda, apontando repasse limitado dos altos preços de fábrica.

(Por Liangping Gao e Gabriel Crossley)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEHB80GR-BASEIMAGE